Metade da população das grandes cidades considera que "bandido bom é bandido morto" Daniel Marenco/Agencia RBS

Foto: Daniel Marenco / Agencia RBS

Metade da população das grandes cidades do país considera que "bandido bom é bandido morto", informou nesta segunda-feira uma pesquisa do Instituto Datafolha, realizada no final de julho. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Perguntados "se bandido bom é bandido morto", 50% dos entrevistados concordaram com a ideia, enquanto que 45% discordaram — os 5% restantes não souberam responder ou não concordaram nem discordaram.

Para especialistas, apoio à morte de bandidos é reflexo de medo e intolerância
À espera da polícia, populares prendem homem no Menino Deus

Ao total, 1.307 pessoas de 84 cidades com mais de 100 mil habitantes participaram do levantamento, que foi encomendado pela ONG Fórum Brasileiro de Segurança Pública e tem margem de erro de três pontos percentuais, para mais ou para menos. Por isso, pode-se dizer que a pesquisa apresenta empate técnico.

A violência no RS é similar à de outros Estados?
Governador avalia que violência no RS é similar a de outros Estados

De acordo com o levantamento, homens e mulheres, assim como ricos e pobres, têm a mesma opinião sobre o tema se levada em conta a margem de erro. Por outro lado, a comparação apresenta resultado diferente quando a cor de pele dos entrevistados é avaliada: 53% dos brancos pensam que bandido bom é bandido morto, índice 9% maior que o compartilhado entre negros (44%).

Entre as regiões, embora dentro da margem de erro, a maior diferença é vista entre Sul, onde 54% das pessoas concordam com a afirmação, e Sudeste, na qual o número é de 48%. No Nordeste, Centro-Oeste e Norte, 52% dos entrevistados confirmaram ser a favor da ideia de que bandidos devem ser mortos.

Leia as últimas notícias

 Veja também
 
 Comente essa história