Uma coalizão de países com florestas tropicais exigem que, no acordo de mudança climática global atualmente em negociação, seja reconhecida a contribuição desses ecossistemas e a necessidade de uma maior cooperação global para sua conservação, informou em entrevista a ministro das Relações Exteriores do Panamá, Isabel De Saint Malo.

"A proposta pede cooperação do mundo para a conservação destas florestas tropicais. Discutimos a cooperação de todos os tipos", disse De Saint Malo à AFP.

O Panamá preside a Coalizão de Nações com Florestas Tropicais, composta por 52 países, a segunda maior unidade de negociação após o G77, que reúne 134 países em desenvolvimento mais a China.

Um total de 195 países estão negociando desde segunda-feira em Bonn (Alemanha) a versão final de um acordo sem precedentes para conter o aumento contínuo da temperatura global e impor um limite para as emissões e promover a transição energética para encarar as mudanças climáticas.

Esse acordo deve ser ratificado em nível ministerial durante a conferência sobre mudança climática em Paris (COP21), no início de dezembro, onde se espera um compromisso global de medidas para limitar o aumento da temperatura global a dois graus Celsius.

"Esperamos e acreditamos que existirá um acordo que incorpore este esforço dos 52 países", disse a chefe da diplomacia panamenha.

De acordo com De Saint Malo, esta coalizão de países busca políticas para apoiar a conservação das florestas tropicais e o aumento do financiamento para a iniciativa das Nações Unidas conhecida como Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal (REDD +).

Esta iniciativa consiste em que os países participantes recebam financiamento se demonstrarem uma redução efetiva das emissões de gases de efeito estufa provenientes de florestas.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história