O petróleo fechou em baixa nesta sexta-feira no mercado a termo de Nova York devido ao fato de que a redução simbólica do número de poços em atividade nos Estados Unidos não foi suficiente para contrabalançar o impacto do aumento do dólar e a preocupação com a economia chinesa.

O barril "light sweet crude" (WTI) para entrega em dezembro perdeu 78 centavos, a 44,60 dólares, no New York Mercantile Exchange (Nymex), anulando totalmente a leve alta registrada na véspera.

Esta é a segunda semana consecutiva de queda nos preços.

No Intercontinental Exchange (ICE) de Londres, o barril do Brent do Mar do Norte para entrega em dezembro perdeu 9 centavos, a 47,99 dólares.

A empresa de serviços petroleiros Baker Hughes anunciou na sexta-feira que há nos Estados Unidos menos poços de petróleo em atividade que na semana anterior.

"Há oito semanas que o número de poços está baixando, e isto mostra que o mercado se contrai, mas não tanto como pensávamos, e como a produção ficou estável (nos Estados Unidos) na semana de 16 de outubro, os investidores consideraram que isto constituía uma pressão para baixo" dos preços, explicou Phil Flynn, do Price Futures Group.

Por outro lado, o petróleo reagiu como outras matérias primas "e subiu em um primeiro momento devido a uma perspectiva de melhoria da demanda na China após o corte da taxa básica do Banco Central Chinês (PBOC)", explicou Jasper Lawler, analista da CMC Markets.

Mas em seguida, o mercado mudou de direção "quando se deu conta que os cinco cortes precedentes das taxas de juros não deram resultado e que a ação apenas revela que a economia chinesa está em dificuldades", disse Lawler.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história