Pizzolato será extraditado para o Brasil semana que vem, confirma procurador Antonio Cruz/ABR

Pizzolato fugiu para a Itália em 2013 usando documentos do irmão morto

Foto: Antonio Cruz / ABR

O ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, condenado na Ação Penal 470, o processo do mensalão, será extraditado para o Brasil na próxima quarta-feira. Pizzolato foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a 12 anos e sete meses de prisão por lavagem de dinheiro e peculato, mas, por ter dupla cidadania, fugiu para a Itália em setembro de 2013, antes do fim do julgamento. 

Henrique Pizzolato foi preso em fevereiro do ano passado em Maranello.

Senadores italianos pedirão que ministro revogue extradição de Pizzolato
Autoridades brasileiras estão prontas para receber Pizzolato, diz Justiça

De acordo com a Procuradoria-Geral da República (PGR), o governo italiano informou ao Ministério das Relações Exteriores (MRE) que autorizou a Polícia Federal a fazer translado do ex-diretor de Roma para Brasília. Pizzolato cumprirá pena na Penitenciária da Papuda, no Distrito Federal.

A extradição foi formalmente autorizada dia 22 de setembro pelo Conselho de Estado da Itália, após várias decisões da Justiça italiana a favor e contra a extradição. A principal questão analisada pelos juízes foi a condição dos presídios brasileiros.
Segundo os juízes que analisaram o caso, existem no Brasil todas as condições para garantir a segurança de Pizzolato em um presídio.

Pizzolato perde último recurso na Itália e pode ser extraditado para o Brasil
Pizzolato faz greve de fome em penitenciária na Itália

O argumento da falta de respeito aos direitos humanos nas prisões brasileiras foi usado pela defesa para pedir que Pizzolato continuasse na Itália.

*Agência Brasil

 Veja também
 
 Comente essa história