Polícia da Suécia aponta motivações racistas em assassinatos com espada em escola AFP/AFP

Jovem mascarado aparece em foto tirada por alunos antes do ataque à escola

Foto: AFP / AFP

A polícia sueca apontou "motivações racistas" por trás do ataque do jovem de 21 anos que matou duas pessoas com uma espada na quinta-feira em uma escola, que tem em sua maioria alunos imigrantes com idades entre 6 e 15 anos.

Os policiais que investigam os crimes em Trollhättan, no sudoeste do país, explicaram que a avaliação foi baseada nos elementos encontrados na casa do assassino, morto pelas forças de segurança. "O conjunto permite dizer que o autor tinha motivações racistas quando cometeu os crimes na escola Kronan", destaca um comunicado da polícia.

Assassino de escola na Suécia era simpatizante da extrema-direita

Natural de Trollhättan, o jovem foi identificado pela imprensa sueca como Anton Lundin-Pettersson. Antes de ser morto pela polícia, ele matou um professor e um aluno com uma espada e feriu outras duas pessoas, que permanecem internadas em estado grave.

Leia as últimas notícias de Mundo

Vestido com roupas pretas e uma máscara da saga Star Wars, além um capacete similar ao utilizado pelo exército alemão durante a Segunda Guerra Mundial, o jovem agressor "escolheu suas vítimas em função de sua origem étnica", comentou o policial Niklas Hallgren ao canal público SVT.

Após as mortes, a imprensa informou que o assassino seria um jovem violentamente hostil ao islã e à imigração, fascinado por filmes de guerra e romances de Stephen King. Além disso, ele teria postado, em sua conta no YouTube, vídeos sobre Hitler e nazismo.

Leia as últimas notícias

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história