PPS quer audiência para ouvir Lula, Carvalho e montadoras sobre "compra" de MP Douglas Magno / AFP/

Foto: Douglas Magno / AFP

O líder do PPS na Câmara, deputado federal Rubens Bueno (PR), informou que vai protocolar ainda nesta quinta-feira na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Casa requerimento para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o seu filho Luís Cláudio Lula da Silva, o ex-ministro Gilberto Carvalho, lobistas e representante das montadoras CAOA e Mitsubishi expliquem a "nebulosa transação" em torno de Medida Provisória que beneficiou montadoras.

Reportagem exclusiva do jornal O Estado de S.Paulo, publicada nesta quinta-feira, aponta que empresas do setor negociaram pagamentos de até R$ 36 milhões a lobistas para conseguir do Poder Executivo um "ato normativo" que prorrogasse incentivos fiscais de R$ 1,3 bilhão por ano ao setor.

Dilma discute reforma ministerial com Lula em almoço no Alvorada
MPF pede arquivamento de inquérito sobre Lula

O partido informou ainda que também enviará requerimento à Casa Civil da Presidência da República cobrando esclarecimentos sobre o caso, que ocorreu na época em que a presidente Dilma Rousseff comandava a pasta.

— Trata-se de um escândalo de tamanha proporção que, se confirmado, pode levar muita gente para a cadeia — disse Bueno.

— Esperamos que todos os citados tenham a dignidade de vir a Câmara prestar esclarecimentos para a sociedade. O caso coloca sob suspeição a edição de muitas medidas provisórias editadas nos governos de Lula e Dilma, que beneficiaram setores específicos da economia — completou.

Dilma faz "pacto com o demônio" para seguir no governo, diz FHC
Para ex-presidente do STF, não há motivo para impeachment de Dilma Rousseff

Para Rubens Bueno, fica cada vez mais claro que o governo do PT transformou o Planalto e a Esplanada dos Ministérios num grande balcão de negócios.

— Quem paga mais leva. E que se dane o interesse da Nação. O que interessa para o PT é o caixa do partido e o bolso daqueles que comandam os esquemas de corrupção — criticou.

*Estadão Conteúdo

 Veja também
 
 Comente essa história