Prefeitura de Jaraguá do Sul integra secretarias e corta comissionados divulgação/Prefeitura de Jaraguá do Sul

O prefeito Dieter reduziu o salário em 20%

Foto: divulgação / Prefeitura de Jaraguá do Sul

A prefeitura de Jaraguá anunciou nesta terça-feira a demissão de 26 cargos comissionados de todas as áreas - dois secretários acumularão quatro pastas - corte no vale alimentação de todos os comissionados e o corte de funções gratificadas de 90 servidores.  Outra ação foi a redução de 20% no salário do prefeito Dieter Janssen. Com essas mudanças, o Executivo vai economizar, a partir de novembro, cerca R$ 300 mil por mês. A até dezembro de 2016, serão quase R$ 4 milhões a menos para os cofres municipais.  A intenção é não deixar a Prefeitura no vermelho com a redução dos recursos arrecadados, pois esse valor estava previsto no orçamento de 2015.

Leia mais notícias sobre Jaraguá do Sul e região

A principal mudança será o acumulo de funções de dois secretários. A Secretaria de Habitação ficará junto com a Secretaria de Assistência Social, sob a responsabilidade de Antônio Marcos da Silva.  A então secretária de Assistência Social assume a Secretaria de Saúde no lugar de Cristiane Wille, que volta a ocupar o cargo de direção da pasta. Já a Defesa Civil e a Fundação Municipal de Meio Ambiente (Fujama) serão comandadas por Leocádio Neves e Silva. O atual secretário da Defesa Civil, Marcelo Prochnow, ocupará a presidência da Fundação Cultural _ Sidnei Lopes, que comandava a cultura, volta a exercer  cargo de carreira, podendo ganhar uma diretoria da Administração. O procurador Raphael Rocha Lopes comunicou seu afastamento da função recentemente e no lugar dele há a possibilidade de assumir um servidor de carreira.

As ações complementam as anunciadas em abril e setembro deste ano, que incluem a redução de viagens e diárias, corte de horas extras, adiamento de alguns investimentos, corte de serviços terceirizados, a não reposição de cargos comissionados, a diminuição nos gastos com combustíveis e energia e corte dos celulares funcionais, cópias, café e outras despesas. Também houve a adoção do turno único, com redução de 25% do vale-alimentação dos servidores, a renegociação de contratos e reavaliação de convênios. Outras ações devem ser tomadas até meados de novembro, com o corte de mais 30% de comissões.

- Apenas com o vale-alimentação conseguimos reduzir cerca de R$ 100 mil por mês - afirma secretário da Administração e Fazenda, Ademar Possamai.

Segundo o secretário, todas as medidas tomadas desde abril representam uma redução de gastos de R$ 22 milhões até este mês. A intenção é atingir a redução de gastos em R$ 30 milhões até final de 2016. Possamai destaca ainda que o foco para redução de gastos foi o corte das despesas variáveis considerando que não é possível a redução dos vencimentos dos servidores comissionados, por isso foi optada pela demissão.

:: Guaramirim também realizou cortes ::

- É um cenário momentâneo. Quando a economia melhorar e se melhorar ano que vem, poderemos readmitir cargos e voltar à estrutura antiga. O problema foi a diminuição de recursos estaduais e federais – destaca.

A NOTÍCIA
 Veja também
 
 Comente essa história