O primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif, pediu nesta sexta-feira aos Estados Unidos que tomem partido na disputa de longa duração com a Índia, sua rival nuclear, diante do risco de uma escalada do conflito.

Falando em Washington um dia depois de conversações com o presidente americano, Barack Obama, Sharif disse que o Paquistão está pronto para ajudar o Afeganistão a restabelecer os diálogos de paz com os rebeldes talibãs.

No entanto, o premiê paquistanês deixou claro que sua prioridade principal era conseguir apoio internacional para obrigar a Índia a negociar sobre o futuro da disputada província da Caxemira e acusou a Índia de aumentar as violações de cessar-fogo ao longo da fronteira dos dois países.

"Obviamente, a relação entre o Paquistão e a Índia é o desafio mais difícil e urgente", disse o chefe de Estado em declarações no Instituto americano da paz (United States Institute of Peace, USIP).

"Acho que seria necessária a revisão de alguns dos pressupostos e análises existentes e dar mais atenção às visões e aos interesses do Paquistão para permitir Washington a desempenhar um papel construtivo que evite o perigo de uma escalada e promover a estabilidade no sudeste asiático", acrescentou.

Na quinta-feira, Obama e Sharif acordaram na Casa Branca ajudar o Afeganistão a retomar as conversações de paz que foram interrompidas em agosto, embora Sharif tenha sugerido que era muito mais importante para o Paquistão sua relação com a Índia e pressionou Washington para que deixasse de buscar vínculos estreitos com seu vizinho.

* AFP

 DC Recomenda
 
 Comente essa história