Projeções do mercado para o PIB e a inflação pioram, aponta Banco Central Ronald Mendes/Agencia RBS

Foto: Ronald Mendes / Agencia RBS

As projeções de analistas do mercado financeiro para o nível de atividade da economia brasileira e para a inflação deste ano e também de 2016 pioraram, segundo dados do Boletim Focus divulgados pelo Banco Central nesta terça-feira. A pesquisa foi realizada com mais de cem instituições financeiras.

PIB

O relatório projeta queda forte para o Produto Interno Bruto (PIB). De acordo com o documento, a perspectiva de retração da economia neste ano passou de 2,85% para 2,97% — um mês antes estava em queda de 2,55%. Para 2016, a mediana das previsões saiu de -1% para -1,20%. Quatro semanas atrás estava negativa em 0,60%.

FMI dobra para 3% previsão de queda da economia brasileira em 2015

Segundo o IBGE, o PIB brasileiro caiu 2,6% no segundo trimestre deste ano na comparação com o primeiro trimestre e 1,9% ante o mesmo período de 2014. No Relatório Trimestral de Inflação de setembro, o BC revisou de -1,1% para -2,7% sua estimativa para a retração econômica deste ano.

Depois da melhora na semana passada, o boletim Focus desta terça-feira trouxe uma forte deterioração da projeção para a produção industrial, que saiu de uma baixa de 6,50% para um recuo de 7%. O mesmo ocorreu com a perspectiva para 2016: a mediana das estimativas passou de uma queda de 0,29% para uma baixa de 1%. Há quatro semanas, as medianas destas previsões eram de -6,20% e +0,50%, respectivamente.

Uruguaios lotam comércio na fronteira com o Rio Grande do Sul

Para a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB, a projeção dos analistas também passou por ajustes. Para 2015, caiu de 36% para 35,90% — quatro edições antes estava em 36,20%. Para 2016, a taxa saiu de 39,35% para 39,50%. Há quatro semanas, estava em 39,10%.

Inflação

A previsão do Boletim Focus para a inflação de 2016 passou de 5,94% para 6,05% — um mês atrás estava em 5,64%. Esta foi a décima elevação consecutiva. Já as projeções para a inflação deste ano subiram de 9,53% para 9,70%. Há quatro semanas, estavam em 9,28%. No Relatório Trimestral de Inflação (RTI) de setembro, o BC havia apresentado estimativa de 9,5% para este ano tanto no cenário de referência quanto no de mercado.

Inflação vai a 7,64% no ano, a maior desde 2003

Para a inflação de curto prazo, a estimativa para outubro passou de 0,53% para 0,65% — estava em 0,47% quatro semanas atrás. Já a de novembro, passou de 0,55% para 0,57% de uma semana para outra ante taxa de 0,54% verificada há um mês. As expectativas para a inflação suavizada 12 meses à frente também pioraram na pesquisa Focus de hoje, passando de 6,11% para 6,24% ante taxa de 5,72% de quatro edições atrás.

Leia as últimas notícias

 Veja também
 
 Comente essa história