"Quando vi que era uma criança me apavorei", conta segurança que encontrou bebê em Itajaí Marcos Porto/Agencia RBS

Garagem onde a criança foi abandonada na madrugada

Foto: Marcos Porto / Agencia RBS

Um chorinho de bebê chamou a atenção do segurança Rodolfo Schmit da Silva, 33 anos, quando descia as escadas de casa para guardar sua motocicleta na garagem, em Itajaí. Sem saber ao certo do que se tratava, ligou os faróis do veículo e começou a procurar pelo local. Próximo ao banheiro, notou que uma criança havia sido deixada em uma caixa de papelão. Com a pequena nos braços, saiu correndo em busca de socorro.

– A sensação é a pior possível. Nunca esperei que isso fosse acontecer comigo. Quando vi que era uma criança me apavorei e sai gritando por ajuda. Ainda estou emocionado – conta.

Bebê é abandonado em garagem de casa em Itajaí
Leia mais notícias sobre Itajaí

Era por volta da 1h30 quando Silva encontrou a menina. Recém-nascida, ela estava enrolada em uma cobertinha e ainda tinha o cordão umbilical. O segurança explica que ficou tão apavorado que primeiro ligou para a mãe para saber o que tinha que fazer. Os gritos dele também acordaram os vizinhos, que ajudaram a chamar a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros.

– Foi um susto grande, o bebê ainda tinha sangue e o cordão umbilical. Tenho uma filha e não sei como uma pessoa pode abandonar uma criança desse jeito. Acho que foi Deus que colocou ela no meu caminho de alguma forma – diz.

A menina foi levada para o Hospital Pequeno Anjo e passa bem. Segundo Silva, a intenção é visitar a pequena nos próximos dias e se candidatar para a adoção.

O caso ocorreu em uma casa de esquina na Rua Manoel Francisco Coelho, no bairro São Vicente. De acordo com o segurança, a porta da garagem fica aberta durante o dia, o que pode ter facilitado a entrada da mãe da criança.

Ministério Público vai investigar o caso

O Conselho Tutelar foi acionado para verificar a situação e relatou o ocorrido ao Ministério Público. Extraoficialmente já teria sido localizada uma suposta tia materna da criança e há suspeita de que a mãe seja usuária de drogas. Porém, o caso será investigado pelo MP e pela Polícia Civil.

O promotor da Infância e Juventude, Jackson Goldoni, informou que foi aberto um procedimento para apurar a situação e assim que a menina tiver alta será encaminhada para adoção. Goldoni explica ainda que o MP colheu algumas informações, mas que nenhuma hipótese foi confirmada até esta quarta-feira. Por enquanto o bebê permanece em observação no hospital – não há previsão de alta.

A mãe da criança ou responsável que a deixou na garagem pode responder por crime de abandono de incapaz. A pena pode chegar a três anos de detenção.

O SOL DIÁRIO
 Veja também
 
 Comente essa história