Os ministros das Relações Exteriores dos Estados Unidos, Arábia Saudita, Turquia e Rússia participarão nesta sexta-feira em Viena em conversações inéditas sobre a guerra na Síria, com posições antagônicas sobre o futuro do regime de Damasco.

O trio Washington-Riad-Ancara, de um lado, e Moscou, do outro, estão em campos opostos no conflito sírio.

Washington e seus aliados integram uma coalizão militar internacional contra o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) e apoiam os rebeldes sírios inimigos do regime do presidente Bashar al-Assad.

Moscou, grande aliado do governo de Damasco, iniciou há três semanas uma campanha aérea para lutar contra o "terrorismo", mas que segundo o governo americano e seus aliados tem como objetivo primordial defender o regime sírio.

A capital austríaca será o cenário de um embate diplomático entre o secretário de Estado americano, John Kerry, o chanceler russo Serguei Lavrov, o saudita Adel al-Jubeir e o turco Feridun Sinirlioglu.

O momento chave acontecerá durante a tarde, na reunião entre quatro partes dedicada ao conflito sírio, algo inédito no campo diplomático e prova da internacionalização de uma guerra iniciada em 2011 e que provocou mais de 250.000 mortos.

Durante a manhã, Kerry se reuniu com os colegas saudita e turco. O encontro, que aconteceu em um palácio de Viena e sem que nenhum dos participantes falasse com a imprensa, serviu para preparar a reunião da tarde com Lavrov

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história