São José aposta em videomonitoramento para combater a criminalidade Charles Guerra/Agencia RBS

Município conta com 105 câmeras nos 27 bairros da cidade

Foto: Charles Guerra / Agencia RBS

A Polícia Militar e a Guarda Municipal aumentaram os números de prisões em flagrante com o auxílio das 105 câmeras de videomonitoramento instaladas nos 27 bairros do município de São José desde o dia 14 de setembro. A cidade da Grande Florianópolis tem o seu próprio Big Brother, porque a população passou a ser vigiada 24 horas por dia.

 

Veja mais notícias sobre São José

A Central de Operações Integradas, instalada no prédio da prefeitura e que deve ser inaugurada em novembro, ainda está em fase de treinamento e até o final de outubro serão 156 câmeras em funcionamento. No dia 15 de outubro, por exemplo, a PM apreendeu dois adolescentes que invadiram um mercado durante a madrugada no bairro Picadas do Sul. Eles foram monitorados quando caminhavam pelo bairro e entraram no comércio sem chamar a atenção dos vizinhos.

— Essa ocorrência só seria conhecida no dia seguinte pelo comerciante e a polícia precisaria ser acionada por meio de um boletim de ocorrência. Desta maneira, a PM ou a Guarda Municipal podem trabalhar na prevenção — informou a secretária de Segurança de São José, Andrea Pacheco.

A Central de Operações Integradas hoje conta somente com representantes da Guarda Municipal e da Polícia Militar. Futuramente, a intenção é reunir os membros dos bombeiros, do Samu e da própria Defesa Civil. Serão 12 funcionários por turno para cuidar do patrimônio público e privado dos josefenses. A maioria dos servidores são pessoas com deficiência.

— Somos a 1ª cidade do Estado monitorada 24 horas por dia. As câmeras foram colocadas seguindo critérios técnicos: nos limites da cidade, onde há um grande número de crimes e nas vias mais movimentadas _ explicou a secretária.
Em 2016, em virtude de um convênio com o Estado, a prefeitura de São José pretende ter 206 câmeras espalhadas pelo município.

Objetivo não é sair multando

Quem passa pelas principais ruas e avenidas de São José já deve ter percebido algumas placas anexas aos semáforos. Elas alertam para o respeito as leis, porque a cidade está sendo monitorada. Segundo a secretária de Segurança josefense, o principal objetivo é garantir a segurança, mas as câmeras podem ser utilizadas para a aplicação de multas de trânsito e outras infrações.

— As câmeras têm vários recursos que ainda não podemos divulgar, mas conseguimos até identificar se um veículo tem registro de furto ou está com a documentação atrasada. Não é a nossa intenção sair multando pelo videomonitoramento, mas a população precisa respeitar as leis de trânsito mesmo sem a presença de um policial ou guarda municipal — observou.

Resultado esperado pela sociedade

Há pouco mais de um mês em teste, porque a inauguração da central deve ocorrer em novembro, as câmeras já identificaram várias pessoas cometendo crimes e infrações. Desde um homem armado com uma faca detido em flagrante pelo crime de roubo no bairro Bela Vista até uma mulher depositando lixo em um terreno baldio no Loteamento Ceniro Martins.

— As câmeras auxiliam o trabalho policial orientando para algumas situações suspeitas. Com isso, o trabalho da PM em parceria com outros órgãos tem o resultado que a sociedade espera das instituições públicas — reforçou o comandante do 7º BPM, tenente-coronel Fernando André da Silva.

Sensação de segurança vai aumentar

O produtor de eventos Douglas Orcelli, 18 anos, teve a sua residência furtada no bairro Nossa Senhora do Rosário, em São José. Ele acredita que o crime poderia ter sido evitado se as câmeras estivessem instaladas na comunidade.

— Com certeza a sensação de segurança vai aumentar. Teremos mais tranquilidade para passear, principalmente, à noite. Sou favorável ao monitoramento porque vários crimes serão solucionados e evitados com esse dispositivo — concluiu.


Hora de Santa Catarina
 Veja também
 
 Comente essa história