O candidato presidencial governista na Argentina, Daniel Scioli, prometeu nesta quinta-feira uma ampla isenção do imposto sobre os salários de trabalhadores e aposentados que ganham o equivalente a até 3.000 dólares.

"Vamos modificar o imposto de renda. Um trabalhador ou aposentado que ganhe menos de 30 mil pesos líquidos não vai pagar mais este imposto", disse Scioli em um comício no estádio Luna Park de Buenos Aires.

Scioli revelou que o limite para a cobrança do imposto será atualizado em sintonia com o aumento das aposentadorias.

O imposto, que já motivou ao menos duas greves gerais na Argentina no último ano, é cobrado sobre quem ganha acima de 15.000 pesos (1.500 dólares).

Em um país com uma inflação oficial superior a 16% nos dois últimos anos, mas que ronda os 30% segundo especialistas, o imposto gera a ira da classe média trabalhadora argentina.

Segundo Scioli, "esta proposta beneficiará 577.400 trabalhadores e aposentados que deixarão de pagar o imposto definitivamente".

O governo da presidente Cristina Kirchner elevava todos os anos a faixa salarial submetida ao imposto, mas isto foi suspenso diante de necessidades fiscais.

Atualmente, um milhão de trabalhadores paga o imposto sobre o salário, sobre um total dez milhões de trabalhadores registrados e quatro milhões de informais.

O sistema impositivo argentino é baseado principalmente no imposto sobre o consumo.

* AFP

 DC Recomenda
 
 Comente essa história