STF autoriza que Lula e ex-ministros sejam ouvidos Heinrich Aikawa/Instituto Lula

Foto: Heinrich Aikawa / Instituto Lula

O ministro Teori Zavaski, relator da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou nesta sexta-feira que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja ouvido, na condição de “informante”, no inquérito que investiga o esquema de corrupção na Petrobras. A decisão atende a um pedido da Polícia Federal, que também recebeu aval da Procuradoria-Geral da República (PGR).

PF indica dinheiro da Petrobras como doação para Dilma, diz jornal
Suíça bloqueia conta que teria Cunha como beneficiário

O ministro também autorizou que que sejam ouvidos como testemunha o presidente do PT, Rui Falcão, José Eduardo Dutra e José Sérgio Gabrielli, ambos ex-presidentes da Petrobras, José Fillipi Jr, ex-tesoureiro das campanhas de Lula e Dilma, e os ex-ministros Ideli Salvatti, Gilberto Carvalho e José Dirceu.

Os 100 dias de cárcere do maior empreiteiro do Brasil

Teori não especificou se Lula deverá ser ouvido como testemunha, como indicou a PGR. A qualificação, se houver, será de responsabilidade da PF. Testemunhas têm obrigação de falar a verdade na Justiça. Caso contrário, podem ser responsabilizadas. O ministro destacou que o depoimento não coloca o ex-presidente como investigado.

Janot destaca que Lula pode depor, mas não está no rol de investigados

"O modo como se desdobra a investigação perante o Supremo Tribunal Federal e o juízo sobre a conveniência, a oportunidade ou a necessidade de diligências tendentes à convicção acusatória são atribuições do Procurador-Geral da República e da autoridade policial, a qual se atribui o poder-dever de reunir os elementos necessários à conclusão das investigações, efetuando as inquirições e realizando as demais diligências necessárias à elucidação dos fatos, apresentando, ao final, peça informativa", escreveu Zavascki.

STF decide que Lava-Jato não vai investigar Gleisi Hoffmann

Na mesma decisão, o ministro rejeito o pedido do PSDB para que o STF se manifeste se a Polícia Federal poderia investigar a presidente Dilma Rousseff na Operação Lava-Jato. Teori ainda prorrogou por 80 dias as investigações do inquérito que investiga o esquema.

*Zero Hora

 Veja também
 
 Comente essa história