O pré-candidato republicano à Casa Branca Donald Trump voltou a vetar, nesta sexta-feira, um grupo de jornalistas latinos que pretendia cobrir um de seus atos de campanha na região de Miami.

O apresentador Jorge Ramos, uma das caras mais conhecidas da televisão, denunciou no Twitter que vários de seus companheiros "não tiveram permissão para cobrir" um comício de Trump na localidade de Doral.

A Fusión - um canal criado pela hispânica Univisión e a rede de televisão ABC - também informou em seu site que seus jornalistas foram impedidos de entrar no evento.

Esta não é a primeira vez que Trump, que lidera a corrida entre os republicanos, tem problemas com jornalistas hispânicos.

No dia 25 de agosto passado, Trump expulsou de uma entrevista coletiva em Iowa Jorge Ramos, quando o jornalista e apresentador participava de uma sessão de perguntas e respostas com o candidato transmitida "ao vivo" por vários canais de TV dos Estados Unidos.

Ramos, que já entrou em choque com Trump sobre temas como imigração e deportação, se levantou para fazer uma pergunta e foi ignorado pelo magnata, que cedeu a palavra a outro jornalista.

O jornalista insistiu e Trump se irritou: "desculpe-me, mas o senhor não foi chamado, sente-se".

Após uma discussão, Ramos foi retirado da sala pelos seguranças e Trump explicou que nada tinha contra o jornalista, mas que era preciso seguir as regras.

Posteriormente, Ramos voltou e recebeu o aval de Trump para formular uma série de perguntas sobre imigração, em uma espécie de morde e assopra com o pré-candidato.

* AFP

 DC Recomenda
 
 Comente essa história