A União Europeia (UE) "começará a desmoronar", se não empreender ações concretas para enfrentar a crise migratória nas próximas semanas - advertiu o primeiro-ministro esloveno, Miro Cerar, neste domingo.

"Se não tomarmos algumas medidas imediatas e concretas no terreno, nos próximos dias e semanas, a UE e toda a Europa em seu conjunto começarão a cair aos pedaços", declarou Cerar, cujo pequeno país recebeu, em poucos dias, cerca de 60.000 imigrantes.

Miro Cerar ressaltou que a Eslovênia enfrenta uma situação "muito grave" e não acredita que possa continuar assim por muito tempo. Como exemplo - citou o premiê -, proporcionalmente, o quadro atual do país seria o mesmo que a chegada de meio de milhão de refugiados à Alemanha em um único dia.

"Não poderemos suportar mais essa situação em semanas, caso não recebamos ajuda", insistiu o premiê, pedindo ao vizinho Croácia para que não "empurre" os imigrantes para a Eslovênia em seu périplo para outros países da UE.

As declarações de Cerar foram dadas por ocasião de uma cúpula de urgência em Bruxelas sobre o tema.

Um número sem precedentes de pelo menos 670.000 pessoas - a maioria em fuga dos conflitos na Síria, no Iraque e no Afeganistão - chegou à Europa desde o início do ano. Trata-se da maior crise migratória desde a Segunda Guerra Mundial.

* AFP

 DC Recomenda
 
 Comente essa história