Catarinense deixa comando da Força Nacional de Segurança Betina Humeres/Agencia RBS

Marcineiro foi comandante-geral da PM em Santa Catarina

Foto: Betina Humeres / Agencia RBS

O coronel da Polícia Militar de Santa Catarina Nazareno Marcineiro deixou o cargo de comandante da Força Nacional de Segurança Pública nesta terça-feira. O anúncio foi feito pelo Ministério da Justiça, órgão responsável pelo departamento, em nota no site da pasta. Durante os seis meses em que ficou no cargo, ele comandou os treinamentos das tropas para as Olimpíadas de 2016.

No texto, o motivo do desligamento não foi informado, mas o colunista do jornal O Globo, do Rio de Janeiro, Lauro Jardim diz que Marcineiro teria pedido demissão na noite de segunda-feira à secretária da Secretaria Nacional de Segurança Pública, Regina Miki.

Fontes ouvidas pelo DC afirmam que o catarinense estaria insatisfeito nos último meses por não ter conseguido implantar o modelo de gestão que ele aplicou na PM de Santa Catarina. Além disso, a interferência política no departamento o teria deixado incomodado. Outra situação que teria motivado a saída de Marcineiro é a falta de alinhamento entre ele Regina Miki, sua chefe direta no órgão.

O coronel foi indicado para o cargo em maio passado, mas assumiu somente em julho. O convite para a função foi feito diretamente por Regina Miki, que veio a Florianópolis para convencer Marcineiro.

Antes de assumir o posto, ele estava na reserva da PM catarinense, onde foi comandante-geral de janeiro de 2011 a abril de 2014. Na época em que assumiu a Força Nacional, Marcineiro disse que o desafio havia pesado na decisão.

O Ministério da Justiça informou que o nome do novo comandante do departamento será definido nos próximos dias.

ÂNDERSON SILVA
 Veja também
 
 Comente essa história