A Polícia Militar prendeu um novo suspeito de ser o responsável pela morte do indígena Vitor Pinto, de apenas dois anos. M.A.S., de 23 anos, se entregou hoje pela manhã para a PM. O assassinato ocorreu na Rodoviária de Imbituba, na última quarta-feira, e chocou a cidade. O crime bárbaro foi realizado à luz do dia, em um dos locais mais movimentados do município na temporada de verão, por volta do meio-dia.

M.A.S. morava com a família em Imbituba, estava desempregado e tem passagens pela polícia por violência doméstica. Polícia informou que imagens da câmera de vigilância indicam que M.A.S. seria o autor do crime. Além disso, foi encontrado na casa dele roupas e luvas que teriam sido usadas no dia do assassinato.

— O indivíduo foi abordado eram cerca de 20h da noite de quinta-feira por ter características semelhantes às do responsável pelo crime, além da vestimenta e de estar portando uma mochila. Ele foi preso e encaminhado para a Polícia Civil — explica o policial militar aspirante a oficial Elton Garcia.

Delegado Rogério Taques comanda a investigação e apontou indícios que incriminam M.A.S. em caso que chocou o Estado Foto: Angela Bastos / RBS TV

O delegado Rogério Taques, responsável pela investigação, afirma que não há dúvidas sobre a autoria do crime. Há a suspeita de que o acusado tenha problemas psicológicos

— As imagens mostram a característica da pessoa e até a vestimenta são indícios fortes de que M.A.S. é o autor do crime. Ainda não sabemos o que exatamente motivou ele a cometer o crime. 

A arma do crime não foi encontrada, mas o delegado Taques acredita ter sido um estilete. A Justiça já determinou a prisão temporária por 30 dias na unidade prisional avançada de Imbituba, para onde foi encaminhado no final da tarde desta sexta-feira.  

Polícia Civil descarta primeiro suspeito de assassinato do menino indígena Vitor Pinto em Imbituba

O crime

A mãe de Vitor estava amamentando a criança quando um homem portando uma mochila, ainda não identificado, se aproximou dos dois e desferiu um golpe na garganta da criança com um objeto cortante. O assassinato ocorreu na quarta-feira, por volta do meio dia.

A polícia ainda tenta identificar se foi uma faca ou um estilete a arma utilizada para degolar o menino. A PM iniciou buscas após o crime e encontrou um homem, que tinha antecedentes, a cerca de 11 quilômetros do local.

Após investigações, esse suspeito foi liberado por não ser reconhecido por testemunhas. Os álibis que ofereceu também mostraram que ele não teria dormido na rodoviária, como o autor do crime.

Criança indígena de dois anos é morta na rodoviária de Imbituba 

Funai emite nota de repúdio

A Fundação Nacional do Índio (Funai), órgão indigenista oficial do Estado brasileiro, se manifestou sobre o assassinato de Vitor por meio de uma nota oficial. Leia a íntegra do documento:

"A Funai vem a público manifestar sua enorme consternação e revolta pelo assassinato brutal perpetrado contra o indígena Kaingang Vitor Pinto, de apenas dois anos de idade, na cidade de Imbituba, estado de Santa Catarina, na última quarta-feira (30).

Ao mesmo tempo, externa sua solidariedade aos pais do menino, Sônia da Silva e Arcelino Vara Pinto, bem como à comunidade da Aldeia Condá, onde ele vivia. Exorta, ainda, à Polícia Civil do Estado de Santa Catarina para que envide todos os esforços e meios necessários para o elucidamento do fato ocorrido, de modo a se fazer justiça contra tão odioso crime."

Acompanhe todas as informações: leia mais notícias de segurança

 Veja também
 
 Comente essa história