Santa Catarina despediu-se nesta tarde do professor Walter Fernando Piazza, aquele que mais publicou sobre a história do Estado. Aos 91 anos, ele morreu pela manhã e o corpo foi sepultado à tarde no Cemitério Jardim da Paz, em Florianópolis. Estava internado há alguns dias no hospital da Unimed, na Capital, em decorrência de problemas agravados pela idade. A ele a história deve muito: foi o introdutor da cadeira de história de Santa Catarina na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em 1973, além de organizar o curso de pós-graduação em História.

Foto: Flávio Neves / Agencia RBS

Deixa cerca de 300 títulos, entre livros e artigos em revistas nacionais e estrangeiras. Piazza nasceu em Nova Trento, no ano de 1925, onde com apenas 21 anos foi vereador. Era filho de Romeu Boiteux e Aracy Batista Pereira Piazza, sobrinho e afilhado de José Boiteux. Aos 22 anos, entre 1947 e 1948, mudou-se para Florianópolis, a convite de um ex-colega de ginásio, em Blumenau, Hercílio Pedro da Luz Filho. Na Capital, iniciou como redator do "Diário da Tarde", jornal do Adolfo Konder, da União Democrática Nacional (UDN). Depois transferiu para o "A Gazeta", que era do Jairo Callado, onde trabalhou até 1953. Sua primeira esposa foi Alba Maria da Luz Fontes. Mais tarde, já viúvo, casou-se com a atual mulher, Lourdes Maria da Silveira Piazza, com quem teve cinco filhos e seisnetos.

Tornou-se bacharel e licenciou-se em História, tendo sido professor no Instituto Estadual de Educação e da Universidade Federal de Santa Catarina por muitos anos. Também se dedicou a estudar Arqueologia. Doutor em Ciências Humanas, deu aulas de História do Brasil. Membro da Academia Catarinense de Letras, integrava também os Institutos Históricos e Geográficos de Santa Catarina e dos estados do Espírito Santo, Bahia e São Paulo. Participava também da Associação dos Professores Universitários de História de São Paulo e a Comissão Nacional de História do Instituto Histórico da Ilha Terceira, nos Açores.

A história sempre foi uma das paixões. Manteve uma biblioteca iniciada em 1948 com milhares de obras sobre Santa Catarina e Brasil, com títulos sobre história antiga, com passagens pela história medieval, moderna, contemporânea. Tornou-se um obstinado em corrigir questões históricas relacionadas ao Estado, como a relação entre açorianos e pesca da baleia. Com base em pesquisas e estudo profundos, esclareceu que a captura já estava articulada dois anos antes da primeira concessão de formação de uma pescaria de baleia, em Armação da Piedade, praticada por baleeiros americanas. A pesca da baleia americana teria sido tão intensa em Santa Catarina _ até as ilhas Malvinas, ao Sul _, que em 1831, eles acabaram montando um consulado na Ilha de Santa Catarina, corrigiu.

Morre em Florianópolis o professor e historiador Walter Fernando Piazza  

Algumas das obras:

Folclore de Brusque - Estudo de uma comunidade. Brusque : Sociedade Amigos de Brusque, 1960.
As grutas de São Joaquim e Urubicí. Florianópolis : Editora da UFSC, 1966.
Estudos de Sambaquis - Nota prévia. Florianópolis, 1966.
São Miguel e seu patrimônio histórico. Biguaçú, 1970.
A Igreja em Santa Catarina: Notas para sua História. Florianópolis : Edição do Governo do Estado de Santa Catarina, 1977.
Dicionário Político Catarinense. Florianópolis : Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1985.
O poder legislativo catarinense: das suas raízes aos nossos dias (1834 - 1984). Florianópolis : Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1984.
O Brigadeiro José da Silva Paes, estruturador do Brasil Meridional. Florianópolis : Editora da UFSC, 1988. 
A Colonização de Santa Catarina. 3ª edição. Florianópolis : Lunardelli, 1994.

 

 Veja também
 
 Comente essa história