Saiba quais opções de transporte alternativo para esta quarta-feira na Grande Florianópolis /

Com a paralisação do transporte público na Grande Florianópolis, que começou a meia noite de terça-feira, a população segue em busca de transportes alternativos para conseguir chegar ao destino. Para os moradores da Capital catarinense a prefeitura disponibilizou vans escolares e de turismo. Mesmo assim, o número de condução é insuficiente e o jeito é se organizar e programar outras formas de condução. 

Reunião entre empresas de ônibus e sindicato pode evitar paralisação na Grande Florianópolis
Motoristas e cobradores confirmam paralisação para terça-feira

Vans de turismo e escolares

Em Florianópolis, entre 5h30min, os veículos sairão do centro em direção aos bairros. A tarifa terá dois valores: R$ 6,00 para linhas curtas e R$ 7,50 para as longas. Apesar da alternativa, a prefeitura informou que a disponibilidade dos veículos são uma medida emergencial, "não sendo possível suprir a demanda diária de usuários, cerca de 280 mil"

Saiba em qual lugar pegar:
Ponto Continente – Recuo Terminal Rita Maria (R$ 6)
Ponto Sul da Ilha – em frente ao Camelódromo Cidade de Florianópolis (Até o Trevo da Seta o valor é R$ 6, após é R$ 7,50) 
Ponto Norte da Ilha – em frente ao Camelódromo do Ticen (Até o Tisan é R$ 6, após o custo é de R$ 7,50)
Ponto Leste da Ilha e Centro – embaixo da passarela do Terminal Rita Maria (saída Beira-Mar Norte) (Até início do Morro da Lagoa é R$ 6, após é R$ 7,50)

* A orientação para os passageiros que virem preços superiores aos estipulados pela secretaria de Mobilidade, é de entrar em contato com a ouvidoria da prefeitura, pelo site

Aplicativos

Os aplicativos para celulares smartphones e para redes sociais também te ajudam na hora da carona. A ideia deles é aproveitar sua rede de contatos para conseguir descolar uma carona mais facilmente. Com o app Carona Fácil, por exemplo, você pode acessar o perfil da pessoa no Facebook para combinar detalhes da carona. 

O WhatsApp sem dúvida é hoje o melhor aplicativo para troca de informação. Crie grupos de familiares, amigos, colegas de trabalho e organize as carona com quem você conhece!

Carona Floripa

Por meio das redes sociais, pessoas de diferentes lugares da região metropolitana diariamente organizam caronas de forma colaborativa. No Facebook, em tempos de greve e paralisações, o Grupo Carona Floripa ganha mais seguidores. Lá, os integrantes oferecem e recebem caronas para qualquer lugar próximo da capital. 

Bicicletas

Não são todas as pessoas quem têm uma "magrela" em casa,  ou até mesmo condições físicas para usa-lá como meio de transporte, mas as bicicletas, além de serem sustentáveis e terem custo quase zero, ajudam a sua saúde. E por que não aproveitar a greve do transporte coletivo e se tornar um novo ciclista? Nas redes sociais, alguns grupos ajudam os novatos com dicas de percursos. Pedale!

Ônibus do Terminal Rita Maria

Caro, mas não irá parar! Os ônibus de viagens mais longas, que circulam na região da Grande Florianópolis podem ser a última opção para quem reside às margens da BR-101, e principais ruas e Avenidas da Grande Florianópolis. Alguns ônibus da empresa Paulotur, passam pela Avenida Beira-mar de São José e na BR-101. Se o usuário morar próximo a Av. Presidente Kenedy, por exemplo, haverá uma opção de horário reduzido. O valor é acima do transporte coletivo que parte do Ticen, mas abaixo da bandeira do táxi. A dica é se organizar!  

Táxi

A opção mais cara, no entanto prática. Com o aplicativo Easy Taxi o usuário pode solicitar um veículo, com poucos clicks, na porta de casa ou trabalho. Apesar da comodidade, o preço só para iniciar a corrida na região da Grande Florianópolis é de R$ 4.60. A bandeira 1 é taxada em R$ 2.45 e R$ 2.90 bandeira 2.  

O Sindicato dos Taxistas informou que se o trabalhador do táxi desrespeitar os valores da tabela, ou se recusar a ligar o taxímetro na tentativa de "fechar uma corrida por valor especificado" poderá perder a licença. Para fazer a denúncia é necessário ligar no número 3324-1517.  

Leia as últimas notícias do Diário Catarinense


 Veja também
 
 Comente essa história