O Índice de Atividade Econômica Regional de Santa Catarina (IBCR-SC) referente ao mês de junho revelou que a economia catarinense dá sinais de recuperação. Na variação mensal, comparada com maio, o indicador teve uma alta de 1,23%. Ainda que pouco expressiva, ela explica o aumento na produtividade catarinense.

Para o presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), Glauco José Côrte, tudo indica que o pior da crise econômica já tenha passado.

— Santa Catarina foi o segundo Estado que apresentou crescimento na produção, atrás do Rio de Janeiro. Ainda temos que esperar os indicadores de junho, mas podemos perceber uma melhora.

As dificuldades impostas pela crise aparecem no acumulado dos últimos seis meses do IBCR-SC, que foi negativo em 3,46%. Os números regionais acompanham o IBCR nacional: alta na passagem do mês (0,23%) e queda semestral (3,14%).

Côrte ressalta a associação entre o IBCR-SC e o Índice de Confiança do Empresário da Indústria, que mede o otimismo dos empresários do terceiro setor. Para agosto, o indicador ultrapassou a marca dos 50 pontos, o que demonstra uma tendência de otimismo na economia.

O IBCR é calculado pelo Banco Central brasileiro com base em indicadores de comportamento dos setores agropecuário, industrial, comercial e de serviços.

Leia mais notícias sobre economia

 Veja também
 
 Comente essa história