O pastor Valdemar Santos, da Igreja Assembleia de Deus da cidade de Pinhalzinho, no Oeste de SC, foi preso temporariamente na tarde da última sexta-feira suspeito de planejar o assassinado da própria esposa. O corpo de Luciane Santos, de 29 anos, que também era pastora da igreja, foi encontrado no último dia 31 de dezembro. Segundo o delegado da Polícia Civil Ricardo Guedes da Cunha, incoerências encontradas no depoimento do esposo da vítima ajudaram os policiais a elucidar o caso.

Conforme Ricardo, a prisão temporária foi solicitada porque o pastor demonstrou interesse de sair do Estado, disse que iria para Mafra e depois para o Paraná. O crime teria acontecido por conta do seguro de vida. Em depoimento, o pastor afirmou que a apólice não estava em seu nome. No entanto, após investigações a polícia descobriu que Valdemar era o único beneficiário.

— A gente desde o início a gente desconfiou, pois nada que ele nos falava fechava. Ele falou que não era beneficiário do seguro, mas a gente descobriu que era — contou. 

 No depoimento, o pastor afirmou que ele e a mulher teriam sido rendidos por três homens na casa em que moravam no dia 19 de dezembro. No entanto, câmaras de monitoramento mostraram Valdemar caminhando pela cidade momentos antes do crime - o que contradiz com o depoimento. Ele foi encaminhado ao presídio de Maravilha, também no Oeste. 

As investigações seguem agora para tentar descobrir se mais alguém participou da ação e de que forma o pastor teria participado da morte da mulher, que também era pastora. O pastor deve responder por homicídio qualificado. 

Leia mais notícias:
Encontrado corpo de pastora desaparecida no Oeste


a gente desconfiou, pois nada que ele nos falava fechava. Ele falou que não era beneficiário do seguro, mas a gente descobriu que era — contou. 

 No depoimento, o pastor afirmou que ele e a mulher teriam sido rendidos por três homens na casa em que moravam no dia 19 de dezembro. No entanto, câmaras de monitoramento mostraram Valdemar caminhando pela cidade momentos antes do crime - o que contradiz com o depoimento. Ele foi encaminhado ao presídio de Maravilha, também no Oeste. 

As investigações seguem agora para tentar descobrir se mais alguém participou da ação e de que forma o pastor teria participado da morte da mulher, que também era pastora. O pastor deve responder por homicídio qualificado. 

Leia mais notícias:
Encontrado corpo de pastora desaparecida no Oeste


 Veja também
 
 Comente essa história