Chapecó tem manifestação em apoio aos produtores de carne Cristiano Estrela/Agência RBS

Foto: Cristiano Estrela / Agência RBS

Empresários, funcionários e consumidores da cadeia produtiva da carne reuniram-se em manifestação na manhã deste sábado, 25, em Chapecó, no Oeste de Santa Catarina. Eles demonstraram apoio à indústria do porco, do boi e do frango, que há pouco mais de uma semana foram colocadas em xeque com a operação Carne Fraca, da Polícia Federal. A organização, composta pela Sociedade Amigos de Chapecó e por lideranças empresariais, fala em 2 mil participantes no protesto, enquanto a Polícia Militar não repassou números. 

No Centro da cidade, os manifestantes erguiam cartazes com mensagens — em português e em inglês — que reforçavam o rigor no sistema de inspeção catarinense e brasileiro. Algumas autoridades estiveram presentes, a exemplo do prefeito do município, Luciano Bulligon (PSB), que engrossaram o discurso acerca da qualidade da carne consumida e exportada em solo local. 

— Nós temos total confiança na indústria da carne de SC, porque é moderna, segura e aprovada por mais de 160 países — enfatizou o presidente da Associação Comercial e Industrial de Chapecó, Josias Mascarello.

Segundo Marcos Bedin, que assessora as lideranças empresariais da região, a ideia não é condenar a instituição policial, mas a forma com que essa investigação em específico foi conduzida e, portanto, gerou desconfiança no setor.

— É unanimidade a aprovação da nossa agroindústria. A condenação se dá unicamente à espetacularização da notícia da PF. Temos muito respeito pela PF, mas esse caso foi desastrado. Queremos que investigue, prenda, mas que divulgue na hora certa — disse. 

Foto: Cristiano Estrela / Agência RBS

Leia também:
Do campo ao prato: como funciona a indústria da carne em SC

As ameaças da Carne Fraca para Santa Catarina

"Vamos ficar mais seguros do que estávamos", diz pesquisadora do Instituto de Tecnologia de Alimentos

China retoma importação de carne brasileira na segunda-feira, diz jornal

 Veja também
 
 Comente essa história