A Secretaria Executiva de Assuntos Internacionais de Santa Catarina informou na tarde desta segunda-feira que foi contatada pelas embaixadas da China e da Coreia do Sul com pedidos de informações sobre a extensão e os impactos da operação Carne Fraca, deflagrada sexta-feira pela Polícia Federal, em Santa Catarina e as medidas do Governo do Estado em relação a esta situação.

Segundo a assessoria de imprensa da secretaria, foi informado às embaixadas que apenas uma unidade produtora está sob investigação em Santa Catarina e que os esforços do governo estão concentrados na proteção aos consumidores, na transparência e na continuidade das exportações para os mercados abertos.

A secretaria informou ainda que o Governo do Estado está em contato constante com o Governo Federal e que mantém, nos últimos dias, uma agenda de reuniões com diversos órgãos da administração estadual para avaliar a situação.

Leia também:

Embargo a frangos e suínos preocupa a cadeia logística e portuária em Itajaí e Navegantes

Consumidor exige esclarecimentos sobre procedência da carne vendida

Carne Fraca: quais pontos da apuração da PF são contestados por especialistas

Missão é fazer "trabalho hercúleo", sob risco de perda de mercado, diz ministro do Comércio Exterior


 DC Recomenda
 
 Comente essa história