Hong Kong, sexto mercado de SC, volta a liberar importação de carne  Cristiano Estrela/Agencia RBS

Foto: Cristiano Estrela / Agencia RBS

Hong Kong reabriu, nesta terça-feira, a importação da carne brasileira, uma boa notícia para o mercado catarinense, já que o destino é o sexto mais importante para os exportadores de proteína animal no Estado. Em 2016, os embarques de SC a Hong Kong alcançaram U$S 103,5 milhões, o equivalente a 5% de todo o valor exportado em carne. O ajuste entra em vigor imediatamente.

A suspensão do embargo veio após esclarecimentos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Na noite de ontem, técnicos do Mapa e autoridades de governo de Hong Kong fizeram uma teleconferência para tirar dúvidas que ainda existiam a respeito da operação Carne Fraca

A liberação de Hong Kong às importações de proteína animal brasileira exclui, contudo, as 21 unidades frigoríficas que estão sendo auditadas em virtude da  suspensão temporária de licenças de exportação, medida adotada pelo próprio Mapa.

No último sábado, a mesma decisão de reabrir mercado, depois de embargo e restrições decorrentes da Operação da PF, havia sido tomada pela China, Chile e Egito, que também figuram entre os principais importadores. Para SC, a China é o maior mercado importador de proteína animal, responsável por 16,11%.

Há ainda uma lista de países que mantém embargo total, como o Qatar. Outros acompanham a decisão do Mapa de não importar apenas das 21 plantas investigadas, como é o caso do Japão e da União Europeia, segundo e terceiro maiores compradores de SC respectivamente.

Leia também:

Indústria de SC prevê impacto US$ 260 milhões com a Carne Fraca

Saiba como está a situação dos mercados após a operação da PF

Análise de amostras não aponta risco à saúde, garante ministro

 Veja também
 
 Comente essa história