Mercados de Florianópolis e Joinville passam por vistoria da Vigilância Sanitária após Carne Fraca  Diorgenes Pandini/DC

Foto: Diorgenes Pandini / DC

Nenhuma carne irregular foi encontrada pelos fiscais da Vigilância Sanitária municipal e do Procon durante uma operação de vistoria feita nesta quarta-feira em Florianópolis. Porém, em Joinville, a vigilância encontrou presunto e salsicha em conserva da Peccin em um supermercado. Os produtos foram retirados de circulação. 

Na Capital, oito dos 20 estabelecimentos varejistas mapeados foram visitados pelas equipes de fiscalização. A ação, que continua na quinta-feira, ainda não tem itinerário definido, mas tudo indica que lojas no sul da Ilha devem passar pela inspeção. Em Joinville, onde a ação também começou nesta quarta-feira, não foram divulgados quantos locais passaram por vistoria, mas o órgão responsável repassou que as rondas continuam durante a semana.

A ação de fiscalização se dá por determinação publicada em portaria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A busca por produtos irregulares envolve quatro lotes. Os SIF 2155 e 825, da Peccin Agro Industrial, que tem unidades em Curitiba (PR) e em Jaraguá do Sul, o SIF 4040, da Souza Ramos, que possui fábrica de Colombo (PR), e o SIF 4644, da Transmeat, que responde por um frigorífico de Balsa Nova (PR).

Durante a manhã, as equipes visitaram o supermercado Angeloni da Avenida Beira-Mar, no bairro Agronômica, e o Imperatriz da Avenida Mauro Ramos, no Centro. O secretário de Defesa do Consumidor, Thiago Silva, participou das visitas e explica que, caso sejam encontrados produtos dos lotes listados, os supermercados devem retirá-los das prateleiras. 

Silva reforça que os produtos não serão apreendidos, porque a ação se caracteriza como uma suspensão preventiva. Após as análises, se não forem encontrados riscos à saúde dos consumidores, a Anvisa pode liberar os produtos para comercialização novamente. Segundo o Procon, os supermercados são notificados e orientados a ressarcir os clientes que tenham adquirido os produtos em questão. 

Interdição cautelar é válida por 90 dias

Até a noite desta quarta-feira, apenas Joinville, no Norte de Santa Catarina, havia informado que também promoveu ações de fiscalização nesta quarta-feira. Por lá, a Vigilância Sanitária e Ambiental encontrou presunto e salsicha em conserva da Peccin em um supermercado de rede. A empresa foi notificada para retirar os produtos de todas as unidades. A quantidade apreendida ainda será contabilizada. 

Segundo a coordenadora da vigilância em saúde, Edilaine Pacheco Pasquali, o órgão em Joinville optou por fazer relatórios semanais e, por isso, ainda não há números da operação desta quarta-feira. Ainda de acordo com Edilaine, todos os locais que vendem alimentos, como mercados, açougues e mercearias, em Joinville serão incluídos na lista de vistoria,.

De acordo com a gerente de inspeção e monitoramento de produtos da Vigilância Sanitária Estadual, Simone Stolt, não foi definido um cronograma específico para o Estado. Apesar disso, como a portaria da Anvisa abrange todo o território catarinense, é provável que outras cidades façam o mesmo. 

Existe ainda a interdição cautelar, que permite as chamadas buscas ativas nos estabelecimentos por 90 dias. Assim, os órgãos responsáveis nos municípios poderão fazer as fiscalizações dentro desse período, explica Simone.

— As vigilâncias sanitárias municipais colocam isso como prioridade porque existe a suspeita de um desvio de qualidade nesses produtos, e como está se tratando de uma suspeita, em nome da cautela colocamos isso como prioridade — reforça Simone. 

A gerente informa que até o momento nenhum órgão regional reportou ter encontrado os produtos dos lotes citados pela portaria. Simone explica que o procedimento de busca ativa foi necessário já que, até o momento, ainda não se teve acesso ao mapa de distribuição das empresas investigadas na Operação Carne Fraca. Nesse documento estão informações sobre o destino dos alimentos produzidos ou distribuídos pelas empresas. Sem esses dados, não é possível rastrear os produtos com exatidão.

Carnes listadas na portaria da Anvisa
- Peccin Agro Industrial, unidade de Curitiba (PR) (SIF 2155)
- Peccin Agro Industrial, unidade de Jaraguá do Sul (SC) (SIF 825)
- Souza Ramos, da fábrica em Colombo (PR) (SIF 4040)
- Transmeat, do frigorífico em Balsa Nova (PR) (SIF 4644) 

* Colaborou Leonardo Gorges

Leia também:
Vigilância Sanitária e Procon vistoriam mercados em busca de carnes suspeitas em Florianópolis

Anvisa vai fiscalizar lojas e interditar venda de carne que é alvo de recall

Hong Kong, sexto mercado de SC, volta a liberar importação de carne

Indústria de SC prevê impacto US$ 260 milhões com a Carne Fraca

 Veja também
 
 Comente essa história