O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, discursou logo após o ataque americano a uma base militar síria e defendeu a ação, afirmando que  foi "vital para a segurança nacional", recordando que o governo sírio matou com gás neurotóxico "homens, mulheres e crianças indefesos".

Trump acusou o presidente da Síria Bashar al-Assad de ser o responsável pelo "terrível ataque de armas químicas contra civis inocentes", que deixou mais de 80 mortos na Síria e disse que o país violou uma convenção da ONU sobre armas químicas e que, por isso, "alguma coisa deveria ter acontecido".

— Acho que o que Assad fez foi terrível. Acho que o que aconteceu na Síria é um dos crimes verdadeiramente grandioso. Não devia ter acontecido. Não deve ser permitido que aconteça — disse Trump a jornalistas.

Leia mais:
Ataque americano matou seis militares e destruiu base na Síria
Assad é o único responsável por ataque americano, afirmam Hollande e Merkel
Rodrigo Lopes: Trump foi tragado para o caos do Oriente Médio
O que já se sabe sobre o ataque químico na Síria

O presidente americano justificou o ataque dizendo, ainda, que as tentativas de negociação falharam e pediu o apoio de países aliados:

— Hoje à noite, pedi a todas as nações civilizadas que se unissem a nós, buscando acabar com o massacre e o derramamento de sangue na Síria, e também para acabar com o terrorismo de todos os tipos e de todos os modos.

Trump confirmou que a ordem para os EUA lançarem 59 mísseis Tomahawk contra a base partiu dele e disse que o alvo foi o local de onde partiu o ataque químico de terça.


*AFP


 Veja também
 
 Comente essa história