Governador Raimundo Colombo nega ilegalidade no recebimento de verbas para a campanha em 2014 Pancho / Agência RBS/Agência RBS

Foto: Pancho / Agência RBS / Agência RBS

O governador Raimundo Colombo (PSD) nega que tenha havido ilegalidade no recebimento de verbas para a campanha de reeleição dele em 2014. Em acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR) na Operação Lava-Jato, o diretor da empresa JBS, Ricardo Saud, afirmou que R$ 10 milhões foram entregues para apoiar Raimundo Colombo naquela eleição e conseguir "facilidades na licitação" da Casan — a empresa teria intenção de comprar a Casan através de um braço de construção civil da gigante do setor alimentício.

Numa nota oficial divulgada na tarde desta sexta-feira, Colombo contesta as declarações feitas pelo delator da JBS. O texto destaca que a empresa fez doações ao diretório nacional do PSD, conforme a legislação eleitoral vigente. Em uma declaração também divulgada nesta quarta, em áudio e em vídeo, o governador reforça o conteúdo da nota oficial: 

—Em relação às doações da campanha, elas foram feitas de forma transparente e legal. Foram depositadas na conta do diretório nacional do PSD, que repassou para o diretório estadual por conta bancária. Está registrado nas contas da campanha, foi entregue ao Tribunal Regional Eleitoral. É de conhecimento público, está lá para quem quiser conhecer. Nada além disto aconteceu, posso garantir a cada um de vocês. Esta é a realidade. Era a legislação vigente, era a forma que se tinha de fazer a campanha e nós cumprimos todos os ritos legais. 

Confira a nota oficial:

O governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, contesta com veemência as declarações feitas pelo delator da JBS sobre doações relativas à campanha eleitoral de 2014.Ressalta que a empresa, conforme a legislação eleitoral vigente, fez doações ao diretório nacional do PSD, que repassou para a campanha do partido em SC. A doação feita pela JBS foi dentro da legislação eleitoral de forma oficial na conta bancária do partido e está registrada na prestação de contas apresentada e aprovada pelo Tribunal Regional Eleitoral.

Confira o vídeo:


 DC Recomenda
 
 Comente essa história