Concessão do aeroporto Hercílio Luz será assinada nesta quinta-feira  Marco Favero/Agencia RBS

Zurich Airports terá concessão do terminal pelos próximos 30 anos 

Foto: Marco Favero / Agencia RBS

Uma cerimônia nesta quinta-feira de manhã, às 11h, no Palácio do Planalto, em Brasília, marca a nova fase do Aeroporto Hercílio Luz, de Florianópolis. O ato terá a assinatura do contrato de concessão da estrutura para a empresa suíça Zurich Airports pelos próximos 30 anos. O estudo de viabilidade que embasou o edital do leilão ocorrido em março deste ano prevê investimentos próximos a R$ 1 bilhão por parte da empresa vencedora. A maior parte, R$ 618 milhões, deve ser aplicada até 2025 em obras como a construção de um novo terminal de passageiros para o substituir o atual, que está defasado.

Mesmo com a oficialização, os suíços vão administrar definitivamente a estrutura somente a partir de 1º de janeiro de 2018. Até lá, a controle continuará com a Infraero. Os primeiros dois anos e dois meses de contrato podem ser considerados os mais importantes para o futuro do aeroporto. Nestes 26 meses, que passam a contar a partir de hoje, o novo terminal com capacidade para atender passageiros até 2030 deve estar pronto. Além disso, precisam ser feitos um estacionamento para veículos e a ampliação da pista de pouso e decolagem, entre outras obras menores (veja na tabela abaixo). Atualmente, 3,6 milhões de passageiros passam por ano pela unidade da Capital.

A Zurich está há pouco mais de um mês trabalhando dentro do Hercílio Luz. Os suíços montaram um escritório onde antes funcionava a agência dos Correios. Neste período, estão conhecendo a estrutura existente e o que a Infraero deixou incompleto, como a obra do terminal. A fundação do novo prédio chegou a ser feita, mas em 2015 o governo federal rompeu o contrato com a empresa responsável pelo serviço. O pouco que havia sido realizado será aproveitado pela construtora que será contratada pelos suíços. Como a melhoria do atendimento no local só deve se dar com o novo terminal, a intenção da Zurich é fazer pequenas melhorias no atual prédio. Alguns mobiliários serão adquiridos no começo do ano que vem para substituir os atuais.

Tobias Markert, representante da empresa e CEO do Aeroporto de Florianópolis, participa da solenidade que oficializa a concessão. Segundo ele, os suíços querem adequar o aeroporto para atender o crescimento previsto:

— O objetivo da Zurich Airport é fazer com que o aeroporto atenda a demanda de crescimento do turismo e dos negócios em Florianópolis, sendo um dos pontos altos na avaliação de todos que vierem para a cidade, seja a trabalho ou a lazer. Queremos contribuir para o desenvolvimento econômico e para a qualidade de vida de quem vive ou visita a cidade.

O governador Raimundo Colombo (PSD) também estará em Brasília hoje para participar da cerimônia, que deve contar a presença do presidente Michel Temer (PMDB). No mesmo ato serão assinadas as concessões dos aeroportos de Porto Alegre, Salvador e Fortaleza. 

 Acessos são fundamentais para sucesso do novo aeroporto 

A nova fase do Aeroporto Hercílio Luz depende, fundamentalmente, da conclusão das obras de acesso ao terminal. Os serviços são de responsabilidade do governo do Estado, que em reuniões com os suíços se comprometeram a entregar os trabalhos até 2019. As duplicações na região do Bairro Carianos estão divididas em quatro lotes. Dois deles estão mais avançados. 

Um deles é a duplicação da Avenida Diomício Freitas, entre o entroncamento com o Trevo da Seta e a entrada do Estádio da Ressacada. Segundo o engenheiro do Deinfra, Cleo Quarema, nesse ponto restam apenas algumas desapropriações. A expectativa é que até dezembro a obra esteja concluída. O outro ponto mais avançado fica entre o Rio Fazenda e o novo terminal do aeroporto. Até o final de agosto o serviço será concluído, explica Quaresma.

Mas o problema está no outro trecho que vai dar acesso ao Hercílio Luz. É a ligação entre a Ressacada e o Rio Fazenda. Nesse ponto o Deinfra ainda espera o licenciamento ambiental para lançar a licitação. Quaresma espera que, depois desse trâmite, a obra demore um ano e meia para ficar pronta. O quarto lote compreende pontes e obras de passagens. Ao todo, serão oito quilômetros de reformas e ampliações.

Leia também:
Empresa suíça concessionária do Aeroporto Hercílio Luz abre sede em Florianópolis e refaz projeto

Investimentos em 26 meses

Pelo contrato, a Zurich precisará fazer as seguintes melhorias até setembro de 2019:

1) Construir novo terminal de passageiros, organizado em dois ou mais níveis operacionais com vias e equipamentos para atender pelo menos:

- 1.330 passageiros domésticos em hora pico durante o embarque
- 1.290 passageiros domésticos em hora pico durante o desembarque;
- 370 passageiros internacionais em hora pico durante o embarque;
- 310 passageiros internacionais na hora pico durante o desembarque; 

2) 10 pontes de embarque e respectivas posições de pátio para atender de forma simultânea e independente a 9 aeronaves;

3) Construir novo pátio de aeronaves, para atender a, pelo menos, de forma simultânea e independente, 16 aeronaves;

4) Construir estacionamento de veículos e respectivas vias de acesso, adjacente ao novo terminal de passageiros, para pelo menos 2.530 vagas dedicadas exclusivamente a visitantes e passageiros;

5) Adequação dos acostamentos da pista de pouso e decolagem; 

5) Adequação da faixa de pista e respectiva faixa preparada da pista de pouso e decolagem 

6) Adequação das pistas de táxi, seus acostamentos e faixas de pista de táxi; 

7) Ampliação da pista de pouso e decolagem para um comprimento de, pelo menos, 2400 metros;

8) Implantação de pista de táxi paralela ao sul com ligação direta às cabeceiras da pista de pouso e decolagem;

9) Disponibilizar sistema automatizado de gerenciamento e inspeção de segurança da bagagem, capaz de inspecionar 100% das bagagens despachadas embarcadas em aeronaves partindo do aeroporto;

10) Disponibilizar sistema de inspeção de segurança da carga capaz de inspecionar até 100% da carga embarcada em aeronaves partindo do aeroporto com destino internacional.

Investimentos da Concessionária 

O estudo de viabilidade indica investimentos que a concessionária precisa fazer nos 20 anos de contrato.

Etapa 1 – 2018 a 2026 (nove anos)
- Recapeamento e ampliação das existentes e construção de novas pistas de táxi aéreo.
- Construção de novo pátio para aviação regular, de 63 mil metros quadrados.
- Construção de novo terminal para passageiros, com 66 mil metros quadrados em dois pavimentos.
- Novo estacionamento em frente ao terminal a ser erguido, com 65 mil metros quadrados.
- Reforma do atual terminal para que se torne um terminal de aviação geral (voos particulares).
- Reforma do atual estacionamento para uso da aviação geral.
- Disponibilização de área de 15 mil metros quadrados para locadoras de veículos em frente ao novo estacionamento.

Valores
2018 - R$ 305 mi
2019 - R$ 313 mi

Etapa 2 – 2027 a 2036 (10 anos)
- Ampliação do pátio de aeronaves.
- Construção e ampliação de pistas de táxi.
- Ampliação do terminal de passageiros em 24 mil metros quadrados.
- Construção de um novo estacionamento aberto em frente ao terminal de passageiros, com 27 mil metros quadrados e três novas pontes de embarque.
- Disponibilização de área de 7 mil metros quadrados para locadoras de veículos em frente ao novo estacionamento.

Valores
2023 - R$ 102 mi
2024 - R$ 102 mi

Etapa 3 – 2036 a 2046 (11 anos)
- Ampliação do pátio de aeronaves de passageiros em aproximadamente 20 mil metros quadrados.
- Construção e ampliação da pista de táxi aéreo.
- Construção de nova área no terminal de passageiros, com 18 mil metros quadrados divididos em dois pavimentos operacionais para operações internacionais e aumento de três pontes de embarque.
- Construção de um estacionamento aberto em frente ao novo terminal com área total de 29,5 mil metros quadrados.
- Disponibilização de 7 mil metros quadrados para áreas de locadoras de veículos, ao lado das áreas de locadoras já existentes.

Valores
2033 - R$ 84 mi
2034 - R$ 84 mi

 Veja também
 
 Comente essa história