As vendas do varejo paulistano cresceram em média 7,9% na primeira quinzena de julho em comparação com igual período do ano passado, apurou a Associação Comercial de São Paulo (ACSP). A variação representa a maior alta quinzenal registrada no ano e, na avaliação da associação, reforça a tendência de recuperação.

"Apesar da crise institucional que abala o País, os dados continuam mostrando recuperação, ainda que insuficiente para cobrir as perdas dos últimos anos ou até mesmo do ano passado. Em resumo, é um resultado positivo, mas que deve ser comemorado com cautela", comenta o presidente da ACSP, Alencar Burti.

O desempenho foi sustentado, principalmente, pelo avanço nos negócios à vista, que cresceram 11,2% na mesma base de comparação. Já as vendas a prazo subiram 4,5%. Para a ACSP, as baixas temperaturas no começo do mês estimularam as vendas de vestuário, assim como "a liberação do FGTS, a queda dos juros e o alongamento dos prazos, o forte recuo da inflação e a recuperação da massa salarial". Burti lembra, entretanto, que o avanço positivo também é explicado por uma fraca base de comparação.

Na comparação com os 15 primeiros dias de junho, foi verificado um recuo de 10,4% em julho. A ACSP explica que tanto o Dia dos Namorados no mês passado quanto as férias escolares em julho geraram efeitos sazonais já esperados. "Vale ressaltar que esta quinzena teve um dia útil a mais. E até mesmo por isso essa queda de 10,4% (-3% no segmento a prazo e -17,8% no à vista) foi menor do que a média dos últimos três anos, de -11,9%)", complementa Burti.

 DC Recomenda
 
 Comente essa história