Após críticas, Casa Branca defende declaração de Trump sobre atentado supremacista Chip Somodevilla/Getty Images/AFP

Foto: Chip Somodevilla / Getty Images/AFP

Depois sofrer criticas, inclusive de membros do próprio Partido Republicano, por declarações ambíguas condenando a violência nos confrontos de sábado em Charlottesville, na VirgíniaDonald Trump recebeu o apoio da Casa Branca neste domingo. Um porta-voz do Executivo garantiu que todos os lados foram explicitados na fala do americano.

– O presidente disse, da forma mais enérgica em suas declarações de ontem (sábado), que condena todas as formas de violência, fanatismo e ódio. Isso inclui, evidentemente, supremacistas brancos, neonazistas, o Ku Klux Klan e todo tipo de grupos extremistas – afirmou.

Leia mais
Chuva torrencial no Himalaya mata quase 70 no Nepal e na Índia
Manifestação de extrema-direita, com gritos racistas, convulsiona cidade universitária americana
Sobe para 41 número de mortos em colisão de trens no Egito

Durante os protestos, uma mulher de 32 anos morreu atropelada por um carro que acelerou contra os manifestantes antirracismo. Até agora, 35 pessoas se feriram, nenhuma delas em confronto com os policiais. À tarde, um helicóptero que acompanhava as manifestações caiu perto da cidade e os dois policiais que estavam a bordo morreram. Não houve feridos no local de queda.

Filha e conselheira do presidente americano, Ivanka Trump também denunciou, neste domingo, o racismo, a supremacia branca e os neonazistas. 

"Não há lugar na sociedade para o racismo, a supremacia branca e os neonazistas. Todos temos de nos unir como americanos e ser um país unido", declarou em sua conta no Twitter.

 DC Recomenda
 
 Comente essa história