Carolina Bahia: esperando a denúncia Ver Descrição/Ver Descrição

Foto: Ver Descrição / Ver Descrição

A homologação da delação premiada do doleiro Lucio Funaro é questão de dias, deve ocorrer antes da despedida de Rodrigo Janot da Procuradoria Geral da República. Usando a brincadeira do próprio procurador, é o bambu que falta para reforçar a flechada contra o presidente Michel Temer. Operador de Eduardo Cunha, Funaro detalhou as relações com o PMDB da Câmara e reservou um espaço especial para o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA). É por isso que o Planalto trata de se fortalecer politicamente. Deputados fieis estão sendo brindados com cargos, Temer levou parlamentares especialmente convidados na viagem à China e alguns descontentes estão recebendo telefonemas de ministros. Desta vez, o presidente quer eliminar o risco de um parecer favorável à denúncia já na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Adiado
Julgamento de João Pizzolatti e outros seis políticos do PP foi adiado para a próxima semana. Quem conhece a segunda turma do Supremo Tribunal Federal, aposta que a tendência é que eles virem réus. Ontem, no entanto, dois ministros estavam ausentes: Gilmar Mendes e Celso de Mello. Relator da Lava-Jato, Edson Fachin preferiu deixar os votos para a próxima semana.

Bela e recatada
Longe dos holofotes desde a delação da JBS, a primeira-dama reapareceu nesta semana. Além de participar de uma cerimônia no Palácio do Planalto, Marcela Temer gravou um uma mensagem sobre o programa Criança Feliz, vídeo que o ministro Osmar Terra (Desenvolvimento Social) levou para apresentar na China. No próximo mês, ele deve retomar o papel de embaixatriz do programa.

Fraude no Pronaf
Depois de dois anos do escândalo da fraude do Pronaf, o Ministério Público Federal finalmente deverá apresentar denúncia à Justiça no próximo mês. Investigação da Polícia Federal indiciou 14 pessoas e o Banco do Brasil identificou mais 35 funcionários envolvidos em irregularidades. O esquema desviou R$ 79 milhões em créditos da agricultura familiar a partir de transferências bancárias intermediadas por uma associação de produtores. No Vale do Rio Pardo (RS), 6.309 pequenos produtores foram lesados.

Leia outras colunas de Carolina Bahia

Carolina Bahia: fantasma do fato novo

Carolina Bahia: segurança em segundo plano

Carolina Bahia: equivocado e incompleto

 Veja também
 
 Comente essa história