Familiares e amigos se despedem de jovem que morreu após ser atropelado no Norte da Ilha Betina Humeres/DC

Sepultamento ocorreu no Cemitério Jardim da Paz, no bairro João Paulo

Foto: Betina Humeres / DC

Familiares e amigos estiveram reunidos na tarde desta sexta-feira para se despedir de Sérgio Teixeira da Luz Júnior, 23 anos, que morreu no início da madrugada desta sexta. O jovem havia sido internado na UTI do Hospital Celso Ramos após ser atropelado no último domingo, em Jurerê, no Norte da Ilha. Ele passou por cirurgias e chegou a ter parte do pulmão esquerdo removida, mas não resistiu. O sepultamento ocorreu no Cemitério Jardim da Paz, no bairro João Paulo. 

Além da comoção pela morte precoce, as circunstâncias do acidente que vitimou Sérgio foram lembradas com indignação. Isto porque o motorista investigado pela polícia como responsável pelo atropelamento, Sérgio Orlandini Sirotsky, 21 anos, deixou o local do acidente e só se apresentou na delegacia na quarta-feira. Durante a cerimônia de sepultamento, parentes mais próximos de Sérgio Teixeira preferiram não fazer declarações à imprensa. 

Um dos jovens que estava com ele no domingo e também foi atingido, Edson Mendonça de Oliveira, já recebeu alta do hospital e acompanhou a despedida. Nas redes sociais, amigos deixaram mensagens em memória ao rapaz.

"Última vez que o vi ele estava dirigindo o carro que comprou com seu trabalho, esboçou um sorriso, acenou para nós e deu oi para minha vó perguntando se ela estava bem. Um pequeno momento de um menino moço cheio de vida que esbanjava simpatia", escreveu uma amiga de infância que cresceu com Sérgio Júnior nos Ingleses.

"Um grande irmão, amigo e parceiro de todas as horas! Sentiremos muito sua falta", escreveu Leonardo Schmitt, irmão mais velho de Sérgio Júnior, nas redes sociais. 

Leonardo é responsável por uma empresa de eventos e decoração, onde Sérgio também trabalhava. Sérgio morava com a mãe, uma manicure que criou ele e os dois irmãos nos Ingleses. Segundo amigos, o rapaz comprou um carro há cerca de seis meses, mas preferiu ir e voltar de Uber na festa do último domingo para não ter que dirigir depois de beber. 

 Veja também
 
 Comente essa história