Funcionários dos Correios entram em greve em Santa Catarina Roni Rigon/Agencia RBS

No país, 31 sindicatos da categoria paralisaram as atividades por conta de acordo coletivo

Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Os trabalhadores dos Correios em Santa Catarina decidiram entrar em estado de greve indeterminado.  Em Florianópolis, as unidades do Centro de Tratamento de Encomendas e do Centro do Tratamento de Cartas, responsáveis pela triagem das correspondências, estão paralisados.  Segundo a empresa, em Santa Catarina, 96,08% do efetivo está trabalhando - o que corresponde a 3.752 empregados.  

De acordo com José Maria Pego, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores na Empresa de Correios e Telégrafos e Similares de Santa Catarina  (Sintect SC), na quinta-feira (21) será feito uma avaliação do impacto da greve no Estado. No país, 31 sindicatos da categoria aderiram à paralisação por uma pressão da aprovação do acordo coletivo com os Correios, em negociação desde julho.

Também está marcada para quinta-feira uma nova rodada de negociação entre os trabalhadores e a empresa. 

Os Correios diz, em nota, que a "paralisação parcial" não afeta os serviços de atendimento. Até o momento, todas as agências, inclusive nas regiões que aderiram ao movimento, estão abertas e todos os serviços estão disponíveis, afirma.

"Os Correios continuam dispostos a negociar e dialogar com as representações dos trabalhadores na busca de soluções que o momento exige e considera a greve um ato precipitado que desqualifica o processo de negociação e prejudica todo o esforço realizado durante este ano para retomar a qualidade e os resultados financeiros da empresa", diz a nota.

Procon notifica Correios

À tarde, o Procon de Florianópolis notificou os Correios, sob a alegação de que a empresa está infringindo o artigo 22 do Código de Defesa do Consumidor, que diz que os órgãos públicos, por si ou suas empresas, concessionárias, permissionárias ou sob qualquer outra forma de empreendimento, são obrigados a fornecer serviços adequados, eficientes, seguros e, quanto aos essenciais, contínuos. Os Correios terão 48 horas para apresentar esclarecimentos sobre um plano de ação para a continuidade dos serviços.

De acordo com o diretor do Procon municipal, o consumidor que não receber as suas faturas deverá entrar em contato com o fornecedor, antes da data de vencimento, para solicitar a segunda via, que poderá ser enviada por e-mail ou ainda por mensagem de texto com o número do código de barras, evitando, com isso, o atraso no pagamento e a incidência de juros.

 Veja também
 
 Comente essa história