Comer carne virou luxo para muitos venezuelanos pela crise econômica, mas o governo acredita ter a solução com o "plano coelho", uma iniciativa para incentivar a criação e o consumo desse animal.

"Para a proteína animal, que é um tema tão importante, aprovou-se o início de um 'plano coelho', porque os coelhos se reproduzem como coelhos", brincou Maduro na noite de terça-feira em uma rede de rádio e televisão.

O mandatário disse que o plano faz parte da ofensiva contra a "guerra econômica" - como se refere à crise - e está sob a responsabilidade de Freddy Bernal, chefe de um programa de venda de alimentos subsidiados em setores populares.

Bernal entregou recentemente um primeiro lote de crias em bairros pobres, mas, segundo ele, a ação teve um revés: as pessoas se apegaram aos mamíferos e "lhes adotaram como animais de estimação".

Por isso, propôs uma campanha "para que se entenda que o coelho não é um animal de estimação, mas dois quilos e meio de carne com alta proteína e sem colesterol colocada na mesa dos venezolanos".

Bernal comentou que "muita gente colocou nomes nos coelhos e que os levaram para dormir na cama" e que reverter esse padrão de conduta "é parte da batalha para ganhar a guerra econômica".

O governo socialista também insinuou a criação de cabras para substituir o consumo de carne bovina.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história