Segunda etapa de transferência de cargas da Ponte Hercílio Luz começa em 6 de outubro Diorgenes Pandini/Diário Catarinense

Desta vez, serão transferidos 80% do peso da ponte

Foto: Diorgenes Pandini / Diário Catarinense

A segunda etapa da transferência de cargas da Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis, já tem data para começar: 6 de outubro, uma sexta-feira, a partir das 22h. A operação deve levar oito dias para ser concluída. A carga de 40 centímetros será transferida em etapas de dez centímetros. Cada uma levará de duas a três horas para ser transferida. O dia seguinte será dedicado ao monitoramento. Só depois da análise do comportamento da estrutura é que o restante da carga será transferida. 

Desta vez, serão transferidos 80% do peso da ponte — os outros 20% foram transferidos na primeira etapa, em fevereiro. A novidade é que o monitoramento do trabalho ocorrerá em 200 pontos diferentes.

Segundo o presidente do Deinfra, Vanderlei Agostini, essa etapa é uma das mais desafiadoras do projeto de restauração do cartão-postal. O plano de contingenciamento deverá ser finalizado nesta sexta-feira, porém alguns detalhes já foram adiantados. Ao contrário do que ocorreu em fevereiro, dessa vez não será necessário o fechamento das avenidas Beira-mar Norte e Beira-mar Continental. Nenhum morador precisará ser retirado de casa. Eles ficarão de sobreaviso e receberão uma notificação por escrito. Apenas o tráfego de embarcações embaixo da ponte ficará totalmente interditado.

Os ajustes para o início dos trabalhos ocorrerão ainda no dia 5. Segundo Agostini, o plano de contingenciamento está sendo comandado pela Defesa Civil Estadual, em parceria com diversos outros órgãos. 

— Será tudo controlado segundo por segundo, o que nos deixa mais seguros — disse Agostini.

Como vai ocorrer

O engenheiro fiscal da obra de reabilitação e recuperação da ponte Hercílio Luz, Wenceslau Diotallevy, explica que essa etapa foi dividida em quatro níveis de cores dentro do plano de contingenciamento, que pretende garantir a segurança da execução da transferência de carga: 

— Nós vamos dividir em quatro níveis de cores. O nível verde é quando está tudo bem, dentro do previsto. Se der qualquer problema que seja necessário parar a operação para verificar qualquer peça, é acionado o nível amarelo, quando todas as pessoas envolvidas se mobilizam. Se a tendência continuar, nós acionamos a fase laranja. Nessa fase, todos os envolvidos no plano de contingenciamento vão estar na obra. Se chegar na fase vermelha, para tudo, os moradores saem da área, o trânsito é isolado. 

A previsão é que a transferência de carga comece às 22h de sexta-feira, dia 6. No dia seguinte, é feita uma análise geral do que aconteceu. 

— Vamos passar o sábado inteiro analisando. Dependendo de como for, no domingo à noite ou na segunda ocorre a outra parte, com mais dez centímetros. Assim, de dez em dez centímetros, até concluir a transferência da carga — completa Wenceslau. 

Segundo o engenheiro, a diferença fundamental da primeira fase e dessa é que na primeira não havia informação de como as peças estavam reagindo:

— Agora temos esses instrumentos. Por isso não é necessário, de imediato, trancar tudo. Vamos iniciar no nível verde. Na outra operação nós iniciamos como se estivéssemos no nível vermelho.

Portanto, nem as famílias do entorno precisarão deixar suas casas, como ocorreu na primeira transferência de carga, nem as vias da Beira-Mar na Ilha e Continente precisarão ser fechadas. A solicitação do projetista foi fechar o canal de navegação. Caso o vento esteja forte no dia previsto para iniciar a transferência, o trabalho será adiado. 

Leia também:

Governo fará mais um aditivo de prazo para a reforma da Ponte

Técnicos apresentam próximos passos da reforma da Ponte 

Proposta da prefeitura da Capital para Ponte Hercílio Luz prioriza pedestres

Rafael Martini: Futuro da ponte Hercílio Luz é incerto

Governador cobra estudo técnico para avaliar uso da Ponte Hercílio Luz

 Veja também
 
 Comente essa história