O governo do Estado do Rio de Janeiro pagará mais uma parcela dos salários atrasados de agosto, mas terminará a primeira semana de outubro sem quitar totalmente a folha dos servidores públicos. A parcela desta sexta-feira, de R$ 100 milhões, pagará os salários de 32.838 servidores ativos, inativos e pensionistas, de todas as categorias. Com isso, a folha de agosto estará paga para 91,7% do funcionalismo, informou nesta quinta-feira, 5, em nota, a Secretaria de Estado de Fazenda e Planejamento.

Na parcela a ser paga na sexta-feira, serão contemplados os servidores que recebem vencimento líquido de até R$ 3.332,72. "Também serão quitados integralmente os vencimentos de agosto para os servidores ativos da Secretaria de Cultura, incluindo os servidores da Funarj, Theatro Municipal e Fundação Museu da Imagem e do Som", diz a nota da Secretaria de Fazenda.

Ainda conforme a nota, os vencimentos de agosto ficarão pendentes para 38.607 servidores ativos, inativos e pensionistas. O valor dessa parcela da folha de agosto soma R$ 271,2 milhões.

Redução da inadimplência

A trégua no atraso de pagamentos do funcionalismo público do Rio de Janeiro fez recuar em 7% a inadimplência na capital do Estado em agosto em relação a julho, segundo dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) obtidos com exclusividade pelo Broadcast.

Em meados de agosto, o governo do Estado do Rio de Janeiro quitou todos os salários atrasados do funcionalismo público referentes a maio e junho, além de pagar os vencimentos de julho para servidores e pensionistas.

Os depósitos foram possíveis graças à transferência de recursos do banco Bradesco ao governo estadual, por ter vencido a licitação de administração da folha de pagamento do funcionalismo. Por outro lado, como os salários dos servidores já voltaram a atrasar, é possível que as novas leituras do indicador mostrem alguma piora na região.

"A administração pública realmente tem um peso muito mais forte na capital do que no resto do Estado. Sem dúvida nenhuma essa questão do pagamento do funcionalismo deve refletir nos números de inadimplência", avaliou o economista Yan Cattani, da Boa Vista SCPC.

De janeiro a agosto deste ano, a inadimplência dos consumidores diminuiu 7,7% no município do Rio de Janeiro. Já a recuperação de crédito recuou 8,7% em agosto ante julho. No ano, o indicador de recuperação de crédito está 3,7% menor.

 Veja também
 
 Comente essa história