Mantida em cárcere privado e ameaçada pelo marido, uma mulher de 36 anos conseguiu ser resgatada pela polícia depois de escrever um pedido de socorro no caderno da filha de 6 anos, que seguia para a escola, nesta sexta-feira, 6, em Sorocaba, no interior de São Paulo. "Preciso de ajuda. É caso de vida ou morte, estou correndo perigo", escreveu a mulher no caderno de tarefas que seria examinado pela professora. A menina tem deficiência.

O marido, de 39 anos, que não teve a identidade divulgada, foi preso com base na Lei Maria da Penha. O casal reside no Jardim Refúgio, na zona oeste da cidade, e estava junto havia seis meses. A mulher contou à polícia que ele tomou seu celular, a chave da casa e não a deixa sair. A vítima relatou que já sofreu agressões e uma tentativa de estrangulamento. O homem também se muniu de uma faca e ameaçou matá-la.

Na mensagem escrita no caderno escolar da filha, enteada do suspeito, ela coloca um número de telefone e pede à professora que entre em contato com seu filho, que mora em outra casa.

"Por favor, é urgente. Ligue nesse número, é do meu filho. Passe esse endereço para ele. Pede para vim acompanhado de alguém, é caso de vida ou morte. Estou correndo até risco de vida", diz o texto.

Ao chegar à casa, os policiais foram atendidos pelo suspeito. Ele negou a denúncia e tentou convencer os policiais de que tinha havido um mal entendido.

Chamada para explicar a situação, a mulher, que estava nos fundos da casa, acabou relatando as ameaças. O suspeito foi levado ao plantão da Polícia Civil e, depois de ser ouvido pelo delegado Pedro Dalboni, foi autuado em flagrante por violência doméstica, cárcere privado e ameaça. A mulher e a filha estão recebendo assistência do serviço municipal de apoio às mulheres em situação de risco.


 Veja também
 
 Comente essa história