A oferta que os europeus apresentaram para o comércio de carne e etanol ficou "aquém das expectativas", disse nesta sexta-feira, 6, o diretor do Departamento de Negociadores Comerciais e Extrarregionais do Ministério das Relações Exteriores, embaixador Ronaldo Costa Filho. "Isso não impediu que a sessão tenha sido muito produtiva", disse ele. No entanto, admitiu, a proposta europeia colocou um "desafio adicional" para a etapa final das negociações.

A meta proposta pelos europeus é concluir as negociações até dezembro. A intenção é anunciar o fechamento de um "acordo político", com detalhes a serem negociados ao longo de 2018, na reunião da Organização Mundial do Comércio (OMC) marcada para o período de 10 a 13 de dezembro, em Buenos Aires.

Para Costa, o prazo se tornou "um pouco mais difícil", mas ainda é possível de ser alcançado. Ele acredita que os dois lados estão empenhados em fechar o acordo, dada sua importância econômica.

O principal ponto de avanço, na avaliação do embaixador, foi na parte institucional do acordo. Ele é formado pelas vertentes política, de cooperação e do livre comércio, mas causava angústia pela falta de diálogo entre elas. "Tivemos um progresso notável nessa sessão", disse.

 Veja também
 
 Comente essa história