PF encontra lacres de contêineres com funcionários de empresa que opera o Porto de Itajaí Reprodução / Vídeo da PF/Vídeo da PF

Lacre é um dispositivo de segurança dos contêineres, que garante que a carga não será adulterada

Foto: Reprodução / Vídeo da PF / Vídeo da PF

O Porto de Itajaí e a Portonave, em Navegantes, estão entre os alvos de mandados de busca e apreensão da Operação Oceano Branco, que investiga o envio de cocaína para a Europa através dos portos catarinenses. A Polícia Federal divulgou um vídeo do momento em que é localizado um lacre de contêiner dentro do armário de um funcionário da APM Terminals, arrendatária do terminal.

O lacre é um dispositivo de segurança dos contêineres, que garante que a carga não será adulterada. Cada contêiner que chega no porto já vem com lacres do exportador e do armador - a empresa que é dona do navio. O lacre do terminal só é usado internamente, entre gate (portão) e inspeção. Para fins de exportação, o dispositivo do armador é fundamental.

O lacre só pode não poderia estar em poder de funcionários do porto. Foram localizados ao todo três desses dispositivos. Dois são novos, do modelo usado para movimentação interna dentro do terminal. Outro é um lacre do armador, que indica qual navio levará a carga.

A APM Terminals informou que está colaborando com a polícia e a Receita Federal e prestando informações desde as 7h da manhã de hoje. Além dos lacres, os policiais estão verificando sistemas de movimentação de cargas do terminal.

Leia mais:

PF cumpre mandados contra quadrilhas que exportavam cocaína pelos portos de SC


 Veja também
 
 Comente essa história