Trajetória: reitor da UFSC atuou como jornalista e tinha doutorado em Direito Henrique Almeida/Agecom/UFSC

Luiz Carlos Cancellier de Olivo morreu na manhã desta segunda-feira, em Florianópolis

Foto: Henrique Almeida / Agecom/UFSC

Luiz Carlos Cancellier de Olivo nasceu em Tubarão, no Sul de Santa Catarina, no dia 13 de maio de 1958. Ele era formado em Direito e tem mestrado e doutorado em Ciências Jurídicas, todos pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Antes de entrar para a vida acadêmica, atuou por muitos anos como jornalista. Entre outros locais, trabalhou no extinto jornal O Estado e também foi assessor do ex-senador Nelson Wedekin

Ao longo da carreira acadêmica, acumulou especializações em Gestão Universitária e Direito Tributário. No Centro de Ciências Jurídicas (CCJ), lecionou disciplinas como Direito Administrativo e Direito Público. Foi chefe de departamento do Curso de Direito entre 2009 e 2011 e eleito diretor do CCJ um ano depois. Cancellier também foi diretor da Fundação José Arthur Boiteux e membro do Conselho Editorial da  Editora da UFSC. 

Em novembro de 2015, foi escolhido reitor da universidade, tendo como vice a professora Alacoque Lorenzini Erdmann, na chapa 82. Ele derrotou, no segundo turno, o professor Edson de Pieri, do Centro Tecnológico.

A vitória de Cancellier significou o retorno de um grupo que já havia comandado a UFSC nas gestões de Alvaro Prata, Lúcio Botelho e Rodolfo Pinto da Luz. Eles haviam sido alijados do poder com a vitória de Roselane Neckel, em 2011. Na reitoria, a sua principal bandeira era uma gestão mais descentralizada da universidade. Cancellier era separado e deixa um filho. 

Saiba mais

 Saiba como identificar sinais de alerta e ajudar na prevenção do suicídio 

 Reitor da UFSC comete suicídio em shopping de Florianópolis

Reitor Luiz Carlos Cancellier nega obstrução na UFSC e diz sentir-se um exilado

"Pressões começaram logo após a minha posse", diz corregedor que investiga desvio de bolsas na UFSC

Corregedoria da UFSC pediu afastamento de reitor dois meses antes de operação da PF

Mesmo sem repasse, UFSC mantém aulas em cursos de ensino a distância

Reitor da UFSC é preso em operação da PF que investiga desvio de recursos

 Veja também
 
 Comente essa história