Nesta quinta-feira será inaugurada dentro da Penitenciária da Região de Curitibanos, em São Cristóvão do Sul, no Planalto, a praça do trabalhador. A cerimônia está prevista para começar às 15h. Conforme a Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania, o espaço é uma forma simbólica de homenagear a política de ressocialização desenvolvida dentro da unidade.

O local é administrado pelo Estado e conta com área total de 2 milhões de metros quadrados, sendo 10 mil de área construída para custódia de presos e 19 mil de área de pavilhões industriais. Conforme a secretaria, todos os detentos que estão na unidade trabalham e metade deles estuda. Em todo o Estado, 38% dos presos trabalham e 19% estudam.

Ao todo, 839 detentos desenvolvem atividades com horta, fabricação de móveis, brinquedos, lajotas, tubos, estofados, cadeiras, caixas de embalagens para frutas e blocos de concreto em unidades de produção construídas pelas próprias empresas conveniadas. No total, são 10 convênios de trabalho com empresas privadas e duas prefeituras municipais.

De acordo com dados da secretaria, uma das maiores redes de móveis do Estado, que iniciou a parceria em 2011, já ampliou o barracão para incrementar o uso da mão de obra apenada na fabricação de estruturas de madeira para sofás e cama box. Em um espaço de 7, 4 mil metros quadrados são produzidas cerca de 15 mil peças por mês. Atualmente a empresa utiliza o serviço de 234 reeducandos.

A penitenciária também desenvolve atividades de apicultura, pecuária e ovinocultura. Em 2015, o governo do Estado inaugurou uma nova estrutura, a Penitenciária Industrial de São Cristovão do Sul, com 8,6 mil metros quadrados de área construída e 599 vagas.

Leia mais notícias no site do Diário Catarinense

 Veja também
 
 Comente essa história