Delegada responsável pela operação que prendeu ex-reitor da UFSC vai deixar Santa Catarina Diorgenes Pandini/Diário Catarinense

Delegada Erika na coletiva da operação Ouvidos Moucos em setembro deste ano

Foto: Diorgenes Pandini / Diário Catarinense

A delegada da Polícia Federal Erika Mialik Marena, responsável pela Operação Ouvidos Moucos que resultou na prisão do ex-reitor da UFSC Luiz Carlos Cancellier de Olivo, vai deixar Florianópolis. A informação é do jornalista Matheus Leitão, em seu blog no G1.

Erika será a nova superintendente da Polícia Federal em Sergipe. A delegada atuou na Operação Lava Jato até o final de 2016, quando deixou a força-tarefa para chefiar a área de combate à corrupção e desvios de verbas públicas da superintendência da PF em Santa Catarina. Foi ela quem deu esse nome à operação.

A delegada chegou em SC no final de 2016. Neste um ano de atuação no Estado, a atuação mais conhecida de Erika foi a Ouvidos Moucos. Depois da coletiva de imprensa dada no dia da operação, ela não falou mais sobre o caso. Paranaense de Apucarana, 41 anos, a delegada Érika foi eleita em uma votação nacional informal da ADPF como a preferida para chefiar a PF como diretora da instituição.

O nome dela era defendido pela associação para o cargo de diretor da PF na substituição ao atual diretor, Leandro Daiello. O ministro da Justiça, Torquato Jardim, preferiu, no entanto, pelo delegado Fernando Segóvia.

Leia também:

Operação Ouvidos Moucos prendeu reitor da UFSC

Veja detalhes da Operação Ouvidos Moucos

 Veja também
 
 Comente essa história