Florianópolis registrou na tarde desta quinta-feira mais um homicídio em 2017. Agora, são 174 mortes violentas na cidade e ainda resta um fim de semana para acabar o ano. Um homem, ainda não identificado, foi morto com tiros de revólver na servidão João Emílio Batista, no bairro Saco Grande, atrás do Floripa Shopping, no sentido das praias do norte da Ilha. Até às 18h desta quinta-feira, ninguém foi preso pelo crime.

De acordo com o delegado Ênio Mattos, titular da Delegacia de Homicídios, o homem, que não portava documentos, estava embriagado e gritando no meio da rua que era “integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC)”, uma facção paulista que disputa territórios com uma facção catarinense que também age dentro e fora dos presídios. Sobre a motivação, o delegado Ênio foi sucinto em dizer que a vítima estava se dizendo um faccionado:

— Estava embriagado, dizendo que era de uma facção, e foi morto com tiros de revólver — explicou Ênio. 

A Polícia Militar, através do 4º Batalhão, também participou do atendimento da ocorrência. O tenente-coronel Marcelo Pontes informa que as guarnições foram acionadas para verificar ocorrências de disparo de arma de fogo na servidão João Emílio Batista, e que chegando ao local o homem ainda apresentava sinais vitais. O Samu foi acionado, mas ao chegar ao local constatou que a vítima estava morta. A reportagem aguarda uma posição do Instituto Geral de Perícias (IGP) para saber se a vítima já foi identificada. 


 Veja também
 
 Comente essa história