O Senado dos Estados Unidos se preparava nesta sexta-feira para votar a histórica redução de impostos prometida pelo presidente Donald Trump, com a maioria republicana confiante na vitória.

Os senadores republicanos, que realizaram reuniões durante todo o dia para acertar o texto, parecem concordar sobre a base da reforma do sistema tributário. A única dissidência entre os governistas era a do senador Bob Corker.

Já na noite de quinta-feira, os legisladores haviam retocado questões técnicas do artigo e após algumas divergências, o otimismo voltou a imperar nesta sexta.

"Temos os votos", disse aos jornalistas o líder dos republicanos no Senado, Mitch McConnell.

"Está resolvido. Temos os 50 votos", declarou o senador John Hoeven.

Os republicanos contam com 52 das 100 cadeiras do Senado e não podem ter mais do que duas dissidências, já que os democratas votarão em peso contra o projeto.

O imposto sobre as empresas, atualmente em 35%, será finalmente reduzido para 20%, prometeu o senador Ron Johson.

Vários republicanos, que ameaçaram votar contra o projeto, acabaram cedendo à proposta, como o influente senador John McCain, que há alguns meses foi decisivo para bloquear a reforma do sistema de saúde conhecido como Obamacare.

"É um momento histórico para nosso país. Há 31 anos não reformamos o sistema tributário", disse o senador Steve Daines à Fox News.

Após a aprovação no Senado, o projeto terá que ser equilibrado com o votado há duas semanas pela Câmara de Representantes.

Na próxima década, a reforma aumentará em um trilhão de dólares o déficit público, segundo avaliação do comitê legislativo especializado em tributação.

O comitê prevê que a redução dos impostos custará 1,4 trilhão de dólares ao erário entre 2018 e 2027. Este valor seria atenuado por 400 bilhões de dólares procedentes do aumento de 0,8% no crescimento econômico anual na mesma década.

Inicialmente, os promotores da reforma afirmavam que ela se financiaria exclusivamente com o crescimento econômico decorrente da redução dos impostos.

Análises mostram que todos os níveis de renda irão ganhar poder de compra, mas os 5% mais ricos se beneficiarão mais.

No entanto, até 2027, 50% dos contribuintes pagarão mais impostos do que hoje, de acordo com o Centro de Política Fiscal.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história