O julgamento do líder da oposição pró-curda na Turquia Selahattin Demirtas, acusado de atividades "terroristas", começou nesta quinta-feira, mais de uma ano após sua prisão.

A audiência acontece no complexo penitenciário de Sincan, na província de Ancara, informou uma fonte de seu partido.

Demirtas, um dos líderes do Partido Democrático dos Povos (HDP), pode ser condenado a até 142 anos de prisão no julgamento, que é considerado "político" por seus simpatizantes.

O governo turco acusa de ter laços com o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), uma organização considerada "terrorista" pelo governo turco e por seus aliados ocidentais.

Entretanto, o HDP nega as acusações e afirma que se trata de um processo "político" contra um opositor ao presidente Recep Tayyip Erdogan.

Centenas de pessoas se reuniram nesta quinta-feira frente ao tribunal para manifestar seu apoio a Demirtas, constatou a AFP.

"O único delito de Demirtas é ter sido opositor a Erdogan", disse uma manifestante, enquanto que outras pessoas erguiam cartazes com mensagens como "as pressões não nos intimidam" ou "o HDP á a esperança e a esperança sempre está de pé".

Demirtas, que se encontra na prisão de Edirne (nordeste) desde a sua detenção em novembro de 2016, não estava presente na audiência, informou à AFP o responsável do partido.

O HDP é o segundo partido de oposição no parlamento. Além de Demirtas, uma dezena de pessoas foram presas e outras cassadas, no contexto dos expurgos que sucederam à tentativa de golpe de Estado de 15 de julho de 2016.

* AFP

 Veja também
 
 Comente essa história