Bairro Ratones, no norte da Ilha, fica "cortado ao meio" após desabamento de pontes Leo Munhoz / Diário Catarinense/Diário Catarinense

Foto: Leo Munhoz / Diário Catarinense / Diário Catarinense

O  bairro Ratones, no norte da Ilha, em Florianópolis, é considerado pela Defesa Civil municipal o mais afetado da cidade em relação aos danos materiais. Na comunidade, pelo menos três pontes tiveram danos. Uma delas fica na principal via do bairro, a Intendente Antonio Damasco. Além dela, tiveram pontes danificadas as servidões Juventina Rufina Garcia e Martinho Júlio da Silva. Na Juventina, 14 famílias estão isoladas. Elas não conseguem deixar suas casas de carro e o único meio de sair é atravessando um terreno particular. 

O Ratones está "cortado ao meio" porque não é possível chegar à parte mais povoada pelo acesso tradicional, na SC-401. É preciso ir até a Vargem Pequena e aí sim acessar a comunidade. 

Na servidão Juventina Rufina Garcia , a cozinha da padaria de William Mazoni cedeu e caiu dentro do rio que dá nome ao bairro.

— Ouvimos um estrondo às 5h30min e corremos pra ver o que aconteceu. Quando chegamos, o deck tinha caído— relata Willian, que perdeu geladeira, máquina de lavar, fogão a lenha e churrasqueira.

A água começou a entrar nas casas às 3h da madrugada e em alguns pontos alcançou um metro de altura. Uma hora depois, a ponte na geral do bairro cedeu. Guilherme Costa, que mora há 29 anos no bairro, disse que nunca viu nada igual. 

Moradores relatam que em 1984 houve uma enxurrada semelhante na comunidade, mas depois nada parecido aconteceu. A situação é bastante crítica, principalmente nas margens do Rio Ratones. Por volta das 16h, agentes da Defesa Civil chegaram ao local e vão avaliar se é preciso retirar os moradores. 

*Com informações de Leonardo Gorges

Leia todas as notícias sobre a chuva em Santa Catarina

 Veja também
 
 Comente essa história