Edificação incendiada nos Ingleses está irregular, diz Corpo de Bombeiros Diorgenes Pandini/Diario Catarinense

Foto: Diorgenes Pandini / Diario Catarinense

A edificação nos Ingleses que teve pelo menos 100 metros quadrados incendiados na tarde desta quarta-feira, causando a morte de uma mulher, está irregular, segundo o Corpo de Bombeiros. O coronel Helton Souza Zeferino explica que foram apresentados dois projetos para a construção, em 2012 e 2015, mas ambos foram indeferidos pelo Corpo de Bombeiros. Assim, a edificação de cerca de 1,5 mil metros quadrados, que inclui o supermercado e 13 apartamentos, na Rua das Gaivotas, não tem nem Habite-se ou alvará de funcionamento:

— A edificação não tem projeto aprovado, Habite-se e não tem funcionamento expedido pelo Corpo de Bombeiros. A edificação está irregular — explica Zeferino. 

O coronel explica que irão notificar o proprietário para que regularize a situação o mais rápido possível. A vítima do incêndio era uma das proprietárias do supermercado e, segundo funcionários, também era dona do imóvel. 

Além dos dois apartamentos que foram completamente destruídos, há 11 apartamentos que estariam sendo alugados. Os inquilinos, assim como funcionários e outros proprietários do supermercado, precisam esperar a conclusão da perícia para saber se poderão voltar ao local.

Segundo o coronel, a perícia iniciou ainda nesta quarta-feira e será concluída, provavelmente, na manhã de quinta-feira. Depois disso, um engenheiro da defesa civil municipal irá fazer uma avaliação da estrutura da edificação para saber se foi danificada e se é possível ser novamente ocupada. Ele garante que essa resposta será dada até esta quarta-feira. Até lá, o local segue interditado. 

 FLORIANOPOLIS, SC, BRASIL, 03.01.2018: Incêndio na rua das Gaivotas nos ingleses com uma vitima fatal. (Foto: Diorgenes Pandini/Diario Catarinense)Indexador: Diorgenes Pandini
Foto: Diorgenes Pandini / Diario Catarinense

Veja o vídeo:

Incêndio em apartamento anexo a mercado deixa uma pessoa morta em Florianópolis

 Veja também
 
 Comente essa história