De janeiro a novembro de 2017, a produção industrial brasileira recuou em apenas dois meses, março (-1,9%) e agosto (-0,6%), segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal divulgados nesta sexta-feira, 5, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O desempenho ficou perto da estabilidade em alguns meses do ano passado, mas ainda positivos, o que indica uma recuperação gradual, afirma André Macedo, gerente na Coordenação de Indústria do IBGE.

"Claro que há melhora de ritmo da produção industrial. Isso fica bastante claro pela frequência de resultados positivos. Alguns ficaram muito próximos da margem, mas em território positivo, o que dá essa tendência de recuperação gradual", disse Macedo.

Faltando apenas um mês para o resultado fechado de 2017, a indústria mostra que interromperá uma sequência de três anos consecutivos de perdas: -3,0% em 2014; -8,3% em 2015; e -6,4% em 2016. "Totaliza uma perda de 16,7% em três anos. Crescendo 2,3% no acumulado do ano até novembro, dá um pouco dessa característica de recuperação lenta e gradual", avalia.

"A frequência de resultados negativos no fechamento de anos anteriores será interrompida em 2017", confirmou Macedo.

Difusão

O índice de difusão da indústria, que mede o porcentual de produtos com avanço na produção, recuou de 62,2% em outubro para 59,0% em novembro. Mas a indústria como um todo cresceu 4,7% em relação a novembro de 2017, o melhor resultado para o mês desde 2010.

 Veja também
 
 Comente essa história