Um homem foi morto a tiros na manhã desta quarta-feira na Vila União, norte da Ilha, em Florianópolis. A vítima foi identificada pelo Instituto Geral de Perícias (IGP) como Adriano Xavier da Silva, 39 anos, natural de Lages, na serra catarinense. A investigação do caso está a cargo da Delegacia de Homicídios da Capital, cujos delegados da DP estão em recesso até o dia 8 de janeiro. A reportagem tenta esclarecer o que teria motivado o primeiro assassinato do ano na Capital. 

Até às 15h35min desta quarta-feira, ninguém foi preso pelo crime. Após dois dias sem mortes violentas, depois de um ano de 2017 de recorde na macabra estatística com 176 assassinatos, Florianópolis registrou com a morte na Vila União o primeiro homicídio de 2018, um dos locais com mais registros de mortes violentas no ano passado.

Via Facebook, uma moradora da Vila União relatou à reportagem da Hora de Santa Catarina o drama de morar em uma das regiões mais violentas da Capital. Disse que vive há três anos na Vila União, e conta que desde 2017 começou a escutar tiros na região "dia sim, dia não". Ela afirma que passou a ter medo de andar sozinha com as filhas na rua. A mulher, que prefere não se identificar, afirma que o tiroteio que depois resultou na morte de Adriano Xavier da Silva durou "bastante tempo". 

"Ontem o tiroteio durou muito tempo, quando achava que acabava vinha mais, achei que viria carro de Polícia pra intervir, mas não apareceu ninguém, até as 7h da manhã ainda ouvi tiros. O corpo parece que foi resgatado só de manhã também. Não tem policiamento nenhum e infelizmente toda a população do bairro é mal vista", relatou a moradora da Vila União. 

 Veja também
 
 Comente essa história